Fonte da imagem: Banco Central do Brasil

O real vai ganhar uma cara totalmente nova. Até 2012, todas as notas em circulação no país vão sofrer modificações importantes tanto em seu visual e tamanho, quanto nas tecnologias de segurança presentes. Tudo isso para garantir ainda mais segurança ao Brasil e evitar a ação de falsários que tentam enganar o sistema financeiro.

Apesar de não ter havido nenhum incidente grave em questões de segurança durante a história do real, o Banco Central decidiu agir de maneira preventiva. Já em 2010, começam a circular as novas notas de 50 e 100 reais, ambas com um design renovado, tamanho variável e a última palavra em tecnologia para prevenir falsificações.

Neste artigo apresentamos as principais novidades das cédulas e respondemos algumas das dúvidas mais frequentes que surgiram após o anúncio do Banco Central.

Por que mudar?

Todos sabem que o dinheiro é um dos elementos mais tentadores de se falsificar. Quando uma moeda como o real atinge quase 20 anos de vida, é preciso investir em novos métodos para evitar tentativas de fraude, protegendo assim o mercado financeiro e a população como um todo.

Além disso, o visual renovado garante mais conforto para deficientes visuais, ao incluir elementos em alto relevo que facilitam a distinção entre as notas.

Além disso, cada uma possui um tamanho diferenciado, que não só dificulta falsificações como garante maior organização e facilita o processo de armazenamento.

O processo de substituição das cédulas vem sendo pensado há anos, mas somente agora a Casa da Moeda do Brasil terminou de instalar e testar os novos equipamentos de impressão. Os anteriores datavam de mais de 30 anos atrás, e não possuíam recursos suficientes para introduzir as medidas de segurança necessárias para proteger a moeda de forma totalmente eficaz.

Novas tecnologias

A maior novidade das novas cédulas fica por conta da inclusão de uma faixa holográfica, composta por desenhos descontínuos que alteram suas formas e cores ao serem movimentados. Além disso, outros elementos facilmente verificáveis são a marca d’água, que apresenta o valor da nota, a imagem do animal correspondente e o número escondido que surge conforme o ângulo de visualização.

Outra novidade fica pela inclusão de elementos em alto relevo, que dificultam a falsificação e favorecem o reconhecimento por parte de deficientes visuais. A inclusão de microimpressões que reproduzem o número 100 repetidas vezes em áreas variadas da nota e elementos que só aparecem sob luz ultravioleta são outros recursos utilizados para trazer ainda mais segurança às notas.

Quando chegam as cédulas novas?

As primeiras notas que vão passar pela renovação são as de 50 e 100 reais, por serem as de maior valor, o que faz com que precisem de mais proteção contra falsificações. Ainda em 2010 já deve ser possível encontrá-las, em quantidade crescente conforme a passagem do tempo.

Em 2011 é a vez das notas de 10 e 20 ganharem visual renovado, enquanto 2012 deve completar a transição com as notas de 2 e 5 fechando a segunda família do real. Quem esperava a volta das notas de 1 real vai ficar decepcionado, já que o valor continua restrito às moedas.

E as antigas, como ficam?

Embora o objetivo seja tirar de circulação as notas atuais, não há um prazo estipulado para que isso ocorra. Conforme elas sofrerem desgaste natural, serão substituídas pelas novas notas, que terão exatamente o mesmo valor. Não há uma previsão do tempo que isso vai levar, mas tudo indica que as notas atuais terão sobrevida de alguns anos.

Fonte da imagem: Banco Central do Brasil

Ou seja, não é preciso se alarmar e sair correndo para trocar todo seu dinheiro por notas novas na rede bancária. O processo de transição ocorrerá através de bancos comerciais, comércio e caixas automáticos, portanto, mais cedo ou mais tarde, todos terão acesso à novidade.

Cupons de desconto TecMundo: