Organizada pela ORIGEM – Instituto Internacional de Comunicação e Cultura – e apoiada pela Câmara do Comércio e Indústria Brasil-Japão do Paraná e pela Inbrape, a Robotec Fair 2009 trouxe para Curitiba algumas das principais novidades da tecnologia em robótica do mundo e apresentou também a produção nacional no campo. Além de empresas, como a Kokoro japonesa, instituições de ensino superior marcaram presença no evento.

A feira reuniu em um único espaço os três grandes braços da robótica mundial – a produção comercial, a visão de entretenimento e o aspecto educacional – contemplando empresários, pesquisadores e o público geral. Nos cinco dias de exposição, 50 mil pessoas passaram pelo pavilhão do Parque Barigui – entre eles investidores internacionais, pesquisadores renomados, acadêmicos e professores locais, profissionais de áreas afins e turmas de escolas públicas que se encantaram com as máquinas exibidas na feira.

A vedete da feira

A Robô humanoide japonesa atraiu muita gente à Robotec Fair 2009.Cercada de atenções e exclamações de surpresa, a Actroid DER– robô humanoide desenvolvida pela Kokoro, empresa do grupo Sanrio – foi a principal atração do evento. O stand em que a robô estava era tomado pela audiência a todo instante em que alguém pegava no microfone e começava a conversar com a Actroid DER.

Fruto de seis anos de trabalho da equipe – composta por apenas seis membros –, a Actroid DER pretende simular, com o máximo de realismo, a fala e a postura de um humano. Apesar de seus movimentos ainda serem limitados, a simpática robô japonesa fascinou com suas respostas rápidas e principalmente pela beleza e realismo de seu visual. Ainda que vista de perto sua aparência não fosse perfeitamente igual à de um humano, os menos avisados que a olhavam de relance se surpreendiam ao perceber que se tratava de uma das atrações da feira, e não de uma visitante. A preocupação com o realismo foi tanta que nos dedos da Actroid DER é possível perceber impressões digitais .

Segundo a equipe responsável pelo desenvolvimento da Actroid DER, por mais avançado que o robô seja ainda existe um longo caminho a percorrer. O engenheiro responsável pela equipe afirma que o próximo passo começa a ser tomado assim que voltarem ao Japão, oferecendo à Actroid DER a possibilidade de andar e deixando seus movimentos mais naturais.

Encantos do Japão

Além da Actroid DER, os japoneses também encheram os olhos curitibanos com outros robôs humanoides – estes nitidamente mais próximos de brinquedos.