Google encerra serviço de newsletter anunciado há 3 meses

1 min de leitura
Imagem de: Google encerra serviço de newsletter anunciado há 3 meses
Imagem: Unsplash
Avatar do autor

O app Museletter, apresentado pela Google em setembro como uma nova plataforma de newsletter integrada ao Drive, será encerrado na próxima segunda-feira (20). A novidade não chegou a ser disponibilizada ao público em geral, ficando restrita à fase experimental.

A mudança de planos da companhia de Mountain View em relação ao app chamou a atenção, tornando-se um dos abandonos de projetos mais rápidos da história da big tech, que geralmente aguarda um tempo maior para observar um serviço antes de optar pelo seu encerramento. Ele ficará no ar por pouco mais de três meses, com a decisão.

Criado pela Area 120, divisão da gigante das buscas especializada no desenvolvimento de novos produtos, o Museletter permitia a criação de boletins informativos aproveitando os recursos disponibilizados pelo Google Drive. A proposta era fazer algo semelhante às newsletters do Twitter.

O Museletter foi encerrado antes do lançamento oficial.O Museletter foi encerrado antes do lançamento oficial.Fonte:  Google/Divulgação 

Trazendo funções parecidas também com o “Bulletin” do Facebook, o serviço seria disponibilizado gratuitamente, mas teria opções de planos pagos, incluindo domínios personalizados e outras exclusividades. A empresa prometia ainda ferramentas para melhorar o engajamento com a comunidade, aumentando o público das newsletters.

O que deu errado?

Em um comunicado postado no site do serviço, na última terça-feira (14), a Google não forneceu detalhes sobre os motivos para o encerramento do Museletter. A corporação se limitou a explicar que os projetos da Area 120 são experimentais, ressaltando que o app “ensinou muito” aos desenvolvedores.

Na nota, a companhia deixa em aberto a possibilidade de investir em um novo serviço de distribuição e monetização de conteúdos. “Além disso, o que aprendemos poderá ser utilizado em esforços futuros da Google neste segmento e em outros”, escreveu a equipe da incubadora.

Quem se inscreveu para o acesso antecipado à ferramenta não precisa tomar nenhuma atitude, já que o app não foi lançado oficialmente, deixando de ter dados do usuário para exportar.