Facebook ajuda afegãos a esconderem dados pessoais do Talibã

1 min de leitura
Imagem de: Facebook ajuda afegãos a esconderem dados pessoais do Talibã
Avatar do autor

A retomada do controle do Afeganistão pela organização fundamentalista Talibã obrigou o Facebook a agir rápido para ajudar a proteger a população local que não concorda com as práticas do grupo.

A rede social recebeu na última quinta-feira (19) uma série de novos recursos exclusivos para a região com o objetivo de evitar a perseguição de afegãos pelo Talibã.

A primeira é a possibilidade de "travar" a conta e esconder diversos detalhes do perfil — incluindo a lista de amigos, fotos e publicações na linha do tempo. A segunda é uma série de guias para ativistas e jornalistas que utilizam a rede social e encontram-se na região.

Esse passo de bloqueio de perfis é importante para que moradores não sejam "flagrados" por conexões com pessoas de outras regiões, especialmente de nações ocidentais — algo que pode ser facilmente exposto pela rede social. A novidade foi confirmada pelo chefe de políticas de segurança da empresa, Nathaniel Gleicher, e expandida também para o Instagram a partir de um passo a passo intuitivo.

Nos últimos dias, habitantes de cidades como Cabul, recentemente ocupada pelo Talibã, apagaram as redes sociais como medida de urgência. Ao mesmo tempo, empresas de tecnologia começaram a tomar medidas contra o grupo: o WhatsApp derrubou um canal de comunicação criado pelo Talibã, enquanto YouTube e o próprio Facebook começaram a banir contas ligadas ao grupo.