Berners-Lee defende uma internet aberta. (Fonte da imagem: Enrique Dans)

Tim Berners-Lee é amplamente reconhecido como o “pai da internet”, sendo o fundador da World Wide Web há três décadas. Autoridade quando o assunto é a sua própria criação, Berners-Lee disparou contra o Facebook e o Google e estimulou que os usuários da internet solicitem seus dados de volta.

Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, o cientista da computação sugeriu que os internautas não têm ideia do valor que possuem suas informações presentes na web. Ele afirma que estes “silos de internet” que se tornaram as redes sociais mantêm os dados, enquanto quem a usa não o faz.

Ele prossegue afirmando que as informações, se usadas de forma pessoal, podem levar a internet a uma nova era de serviços personalizados. Nem a Apple ficou livre de críticas, pois, na opinião do criador da web, as aplicações da empresa de Steve Jobs “fecham a web”, ameaçando a universalidade da internet.

Destruição dos direitos humanos

Ao falar sobre uma internet livre, Berners-Lee seguiu a mesma linha de Sergey Brin, outro entrevistado pelo Guardian nesta semana, e se posicionou fortemente contra o controle da rede mundial de computadores. Para o cientista da computação, tal ato configura uma “destruição dos direitos humanos”. Ele conclui afirmando que leis com SOPA, PIPA e CISPA estão “ameaçando os direitos das pessoas” não só nos EUA, mas em todo o mundo.

Cupons de desconto TecMundo: