Google Fotos não considera mais fotos comprimidas como alta qualidade

1 min de leitura
Imagem de: Google Fotos não considera mais fotos comprimidas como alta qualidade
Imagem: Google/Reprodução
Avatar do autor

O Google divulgou, nesta segunda-feira (24), um lembrete e novas regras em relação à alteração da política de armazenamento do Google Fotos, que entra em vigor no próximo 1º de junho. Um dos detalhes que chamam a atenção é que a empresa não irá mais considerar fotos e vídeos comprimidos como conteúdos de “alta qualidade”.

A sessão de armazenamento que era chamada de “High Quality”, passará a se chamar “Storage saver”.  A mudança de nome é adequada porque nesta pasta poderão ser colocadas as imagens e vídeos com qualidade normal, enquanto a pasta “Original Quality” ficará disponível para materiais maiores e que usam mais dados.

Além da alteração, a gigante da tecnologia anunciou uma nova ferramenta que ajudará os usuários a gerenciar mais facilmente a cota de armazenamento do serviço. A plataforma dará informações sobre o backup e mostrará quais arquivos estão contribuindo para preencher a nova cota máxima que será de 15 GB. Também será sugerido materiais que podem ser excluídos para aumentar o espaço, como fotos borradas, capturas de tela e vídeos grandes.

Google Fotos

Os usuários do Google Fotos terão, ainda, uma opção para verificar estimativas de quanto o armazenamento pode durar. O recurso leva em consideração a frequência com que a pessoa faz uploads e o tamanho desses novos arquivos.

“Estimamos que mais de 80% de vocês ainda devam ser capazes de armazenar cerca de mais 3 anos de memórias em alta qualidade com seus 15 GB de armazenamento gratuito. Quando seu armazenamento se aproximar de 15 GB, iremos notificá-lo no aplicativo e fazer o acompanhamento por e-mail”, explicou a empresa.

Fim do armazenamento ilimitado

O Google anunciou em novembro de 2020 que encerraria o backup ilimitado de fotos e vídeos do aplicativo Google Fotos. A partir da semana que vem, todo conteúdo salvo em nuvem pelo app será contabilizado nos 15 GB de armazenamento gratuito que acompanham os serviços da empresa.

E esse movimento de encerrar serviços de nuvem ilimitados ganhou mais um episódio recentemente. Neste ano, a companhia começou a notificar universidades do mundo todo, incluindo as brasileiras, que o serviço Workspace For Education não dará mais armazenamento ilimitado para todo mundo que tiver um e-mail registrado por uma instituição de ensino.

No lugar, cada escola de ensino superior terá uma cota de 100 TB para dividir entre todos os usuários.