62% dos brasileiros caem em fake news sem perceber, diz pesquisa

1 min de leitura
Imagem de: 62% dos brasileiros caem em fake news sem perceber, diz pesquisa
Avatar do autor

No continente, as fake news estão em alta, mas 70% dos latino-americanos não sabem (ou não conseguem) identificar se uma notícia na internet é falsa ou verdadeira. Os campeões em engolir gato por lebre são os peruanos (79%), seguidos pelos colombianos (73%), chilenos (70%), argentinos/ mexicanos (66%) e brasileiros (62%).

Esses e outros dados estão no estudo Iceberg Digital da companhia de cibersegurança Kaspersky, em parceria com a empresa de pesquisa latino-americana CORPA. A pesquisa entrevistou online 2.291 internautas de 18 a 50 anos de idade, entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020, da Argentina, Colômbia, do Brasil, Chile, México e Peru.

Dos entrevistados, 16% não entendem bem a expressão “fake news”; 47% dos peruanos não sabem o que ela significa, ao contrário dos brasileiros (2%). A maioria dos latino-americanos acredita que notícias falsas são perigosas e eventualmente danosas (98%); 72% acham que elas viralizam porque alguém vai lucrar ou quer prejudicar algo ou alguém.

(Fonte: International Federation of Library Associations/Divulgação)

Mesmo tendo uma alta percepção negativa sobre fake news, 42% dos brasileiros só ocasionalmente questiona o que lê na web, precedidos pelos peruanos em primeiro (58%), colombianos, chilenos, argentinos e mexicanos (47%). Um terço dos latino-americanos usam apenas redes sociais para se informar diariamente; 17% o fazem via sites da mídia tradicional. Quem mais compartilha as chamadas fake news são internautas com idades entre 25 e 34 anos.

Fé na nuvem

A pesquisa também revelou outras particularidades dos usuários latino-americanos, entre elas:

  • O termo malicioso mais conhecido é o malware (considerado o mais prejudicial), seguido de ransomware e phishing.
  • Em todos os países, a maioria dos internautas acessa o site do banco após receber SMS avisando que sua conta foi invadida.
  • A maioria dos entrevistados não salva suas credenciais em sites bancários e não aceita que o navegador o faça quando compra online (mas permite em relação à senha do email)
  • Os usuários, em sua maioria, conhecem o conceito de nuvem, armazenam seus arquivos (fotos, contatos, trabalhos, documentos) nela e excluem documentos antigos para ter mais espaço e organização.
62% dos brasileiros caem em fake news sem perceber, diz pesquisa