5G e 4G devem coexistir por muito tempo, segundo especialistas

1 min de leitura
Imagem de: 5G e 4G devem coexistir por muito tempo, segundo especialistas
Fonte: samsung
Avatar do autor

Especialistas apontam que o 4G e o 5G poderão coexistir durante muito tempo. Isso porque algumas características específicas ajudarão as operadoras a transicionarem para a nova rede sem pressionar os usuários.

A tecnologia 5G prevê uma grande melhoria na velocidade e na cobertura de internet móvel, podendo ser até 100 vezes mais rápida que uma conexão 4G comum. Além disso, o recurso possibilitaria uma resposta mais veloz do que a de uma rede WiFi, por exemplo.

O 5G não deve substituir completamente o 4G. Em vez disso, irá se basear na conexão LTE para funcionar. Segundo o relatório de 2019 do GSMA Intelligence, apenas 15% da população mundial estarão usando 5G em 2025. No mesmo ano, 59% das pessoas estarão usando LTE, sendo que em 2018 essa porcentagem correspondia a 43%. No documento também consta que o LTE servirá como base para muitas operadoras por pelo menos 10 anos

Galaxy S10Juntamente com o Galaxy S10, os aparelhos Oppo Reno 5G, LG V50, e OnePlus 7 Pro também são 5G. (Fonte: Samsung/Divulgação)Fonte: samsung

Todos os sinais de internet móvel se deslocam através de radiofrequência pelos chamados “espectros”. Cada um deles é limitado e só transporta uma portadora; 2G, 3G e 4G, por exemplo, não podem compartilhar o mesmo. No passado, as operadoras precisaram esperar todos os usuários mudarem de tecnologia para que determinado canal pudesse ser alterado.

Com o Compartilhamento Dinâmico de Espectro (DSS), isso pode ser diferente. Previsto para ser lançado no ano que vem nos EUA, o recurso pretende permitir que as operadoras utilizem a mesma banda para 4G e 5G, possibilitando que as redes coexistam.

Como o 5G acaba se baseando no LTE para funcionar, espera-se que ambas as tecnologias apresentem melhorias, principalmente em aparelhos que tenham conectividade 5G.

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
5G e 4G devem coexistir por muito tempo, segundo especialistas