A contradição de um mundo cada vez mais conectado com pessoas cada vez mais sendo “informada” por uma enxurrada de notícias falsas fica constantemente mais evidente. E uma nova iniciativa desenvolvida por duas universidades públicas brasileiras tenta colaborar para segurar essa onda que prejudica quase todo mundo.

Desenvolvida por um grupo de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a plataforma NILC-USP é um detector de fake news que funciona na web e no WhatsApp e tem como principal objetivo auxiliar o usuário a não compartilhar nem acreditar em notícias falsas.

“A ideia é que a ferramenta seja um apoio para o usuário”, aponta o professor Thiago Pardo, do Instituto de Ciências Matemáticas e Computação (ICMC) da USP de São Carlos. “Ainda estamos no início desse projeto e, no estado atual, o sistema identifica, com 90% de precisão, notícias que são totalmente verdadeiras ou totalmente falsas.”

detector de fake newsDetector de fake news está em fase de testes. (Fonte: ICMC)

Inteligência artificial contra fake news

O software do detector de fake news usa aprendizagem de máquina e foi treinado com milhares de notícias falsas e verdadeiras. Com isso, a inteligência artificial do programa se tornou capaz de identificar estruturas que se repetem tanto em textos verdadeiros e em textos falsos para analisar se uma notícia é falsa ou não.

“A gente sabe que, quando uma pessoa está mentindo, inconscientemente, isso afeta a produção do texto. Mudam as palavras que ela usa e as estruturas do texto. Além disso, a pessoa costuma ser mais assertiva e emotiva. Então, uma das formas de detectar textos enganosos é medir essas características”, explica o professor.

fake newsDetector funciona também no WhatsApp.

Por exemplo, dos 3,6 mil das notícias falsas analisadas, 36% continham algum erro ortográfico — em notícias verídicas, esse índice cai para 3%. Diante desse cenário, erros de ortografia se tornaram um dos quesitos levados em conta pelo software na hora de identificar uma notícia falsa em potencial.

Em testes

Para testar o detector, basta acessar o site nilc-fakenews.herokuapp.com a partir do navegador ou ativar o bot do WhatsApp (este link funciona apenas quando usado pelo smartphone e com o WhatsApp instalado).

No mensageiro, digite a palavra fake para ativar o detector de mentiras e, então, basta colar o texto completo para verificar se ela é identificada como possivelmente falsa ou verdadeira pela inteligência artificial do NILC.

Os resultados com a ferrament costumam ser bem satisfatórios, que falha em alguns momentos (algo natural para algo em fase de testes), mas acerta na maioria deles. Além disso, a verificação deve ser aprimorada com o tempo e deixa no ar a possibilidade de que, num futuro próximo, teremos funções como esta rodando de forma nativa nos principais apps de mensagens e redes sociais.

Cupons de desconto TecMundo: