Atualmente há um crescente esforço coletivo das empresas de mídia e redes sociais e dos motores de busca para evitar a desinformação com páginas de fake news e teorias conspiratórias absurdas. Mas, ao que parece, houve um certo deslize da Apple com relação à assistente digital Siri em suas recomendações para o navegador Safari.

O pessoal do Buzzfeed News fez vários testes com a predição de palavras e resultados com a funcionalidade “Siri Suggested” ligada as projeções incluíram site de negação do holocausto, vídeo viral da conspiração Pizzagate nas eleições estadunidenses de 2016, conteúdo anti-vacinação, entre outras coisas.

Ao escrever “Pizzagate”, por exemplo, a Siri sugeriu um vídeo do YouTube de David Seaman, que teve sua conta suspensa em fevereiro deste ano por violar os termos de serviço. Quando a frase “o holocausto não aconteceu” foi digitada, a busca trouxe de volta um endereço suspeito dedicado a isso.

safari

As mesmas palavras foram usadas no Google e os resultados foram bem diferentes, com fontes mais confiáveis com a própria descrição desmantelando as notícias falsas. Isso leva a crer que os algoritmos e a curadoria humana da Maçã não vêm se esforçando muito para evitar que esse material se dissemine — e isso é de certa forma preocupante, porque o Safari conta com uma fatia considerável do mercado de browsers, com 13%.

google

Bem, a companhia pelo menos removeu todas as recomendações inadequadas apontadas até agora e por enquanto não fez comentários sobre o assunto. De qualquer forma, se você quiser desligar as sugestões do Siri no Safari, basta abrir “Preferências”, clicar em “Busca” e desabilitar a opção “Incluir Sugestões para o Safari”.