A internet tem um jeitinho incomum de manter as celebridades em destaque, mesmo que elas, digamos, não sejam assim mais tão relevantes. Um desses casos é o querido/odiado Nicolas Cage, conhecido por suas interpretações extravagantes, que vão de 8 a 80 em menos de duas sequências em seus filmes.

Novo filme do ator, 'Mandy' flerta com ação e terror e ainda não tem previsão de exibição no Brasil

Agora, ao falar de seu mais novo longa, “Mandy”, o ator revelou algo que os milhares de fãs que adoram espalhar sua carinha de louco por aí em GIFs e imagens não sabiam: ele está ciente de que se tornou um fenômeno viral na web, mas simplesmente não gosta de ser um meme, porque isso pode prejudicar a performance artística em seus trabalhos.

A maior bronca ficou por conta de um site chamado “Cage cage”, que aprisiona o internauta em uma jaula de Cages (com o perdão do trocadilho): você fica detido em uma realidade virtual repleta dos momentos-pérola da carreira do cara. Experimente aqui. “A questão é, com o advento da internet, fazer esses mashups, em que os internautas escolhem esses momentos sem o contexto de todo o filme em torno dele para apoiá-lo — uma ‘memeficação’. Ficar marcado por esse ‘Cage cage’ é frustrante”, explicou, em entrevista ao Indie Wire.

cage cage

“Tenho certeza que é frustrante para Panos (diretor do filme ‘Mandy’). Ele fez o que eu considero uma obra de arte muito lírica, íntima e poética — para que depois essa coisa de ‘Cage cage’ fosse jogada em todo o seu filme. Gostaria de pensar que poderia continuar a trabalhar com Panos, mas a internet fez um desserviço ao filme”, esbravejou.

“Mandy” mistura ação e horror com o que parece ser mais uma performance memorável de Nicolas Cage. Está disponível sob demanda e foi lançado em algumas praças, mas ainda não chegou ao Brasil nem conta com previsão de exibição. E você, o que acha dessa bronca toda do ator?