A pirataria e a popularização de serviços de streaming de filmes como a Netflix fizeram muita gente preferir o conforto do sofá de casa em vez de ir até a sala de cinema mais próxima conferir o que está em cartaz. No entanto, os últimos resultados de vendas de ingressos estão longe de serem ruins para os donos de cinemas, pelo menos em relação ao mercado dos Estados Unidos.

Essa última temporada de verão no país (que começou em junho e vai até setembro) deve marcar um crescimento de 15% em vendas de ingressos em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com uma previsão da ComScore. É o maior crescimento dessa indústria desde 1998, compensando os resultados abaixo do esperado que os cinemas obtiveram em 2017.

Os Incríveis 2.O sucesso de “Os Incríveis 2” foi um dos responsáveis por esse crescimento

“A noção de que o streaming levou a um declínio no público de cinema é mesmo muito exagerada”, disse Phil Contrino, representante da Associação Nacional de Donos de Cinemas, em entrevista à agência de notícias Bloomberg. Os números deste ano foram levantados principalmente graças aos sucessos de “Os Incríveis 2” e “Vingadores: Guerra Infinita”.

Os últimos meses também foram um alívio para os empresários que estavam preocupados com a possibilidade de o MoviePass ser um sucesso. A iniciativa dá direito a vários ingressos de cinema por mês a partir do pagamento de uma mensalidade, mas não conseguiu consolidar um modelo de negócios lucrativo e agora vem reduzindo o número de benefícios aos quais os assinantes têm direito.

Somando os números da ComScore aos resultados bem acima do esperado de algumas produções menores, como “Podres de Ricos” e “Megatubarão”, analistas aumentaram as apostas para os resultados de 2018. A expectativa agora é de que o ano apresente um crescimento de 5% em relação ao período anterior.