Embora ainda não tenha chegado ao Brasil, o YouTube Music, serviço da plataforma de vídeos que concorre com Apple Music e Spotify, está disponível para usuários de diversos países desde junho. Mas essa versão atual vai passar por mudanças e atualizações constantes, de acordo com Elias Roman, gestor de produto do serviço.

Em uma entrevista para o Engadget, Roman afirmou que o plano da equipe é continuar lançando novas melhorias a cada duas semanas. Foi como parte desse cronograma que eles fizeram algumas alterações muito pedidas pelos usuários, como a retirada do histórico compartilhado, que combinava as músicas do YouTube Music com os vídeos do YouTube tradicional em um mesmo local.

Ele também adiantou novas funcionalidades que estão sendo estudadas ou trabalhadas pelo time. Algumas delas incluem a opção de salvar músicas offline em um cartão SD; seleção de baixa, média e alta qualidade para streaming e download e poder seguir um artista no aplicativo de músicas sem precisar assinar o canal dele no YouTube.

Um círculo.

Roman acredita que ainda há muito que pode ser melhorado na plataforma, mas considerou que o produto estava em um bom estado no momento do seu lançamento. Ele confirmou ainda que não há pretensão de trabalhar com músicas exclusivas: “Nós não acreditamos que exclusivos sejam bons para a indústria ou bons para os consumidores”, disse.

O YouTube Music está disponível  na América do Norte, na Coreia do Sul e em vários países da Europa, mas ainda não há previsão para que chegue ao Brasil.