Se você é antenado em moda e comportamento, provavelmente já ouviu falar do PopSugar, um dos mais populares da atualidade a tratar desses assuntos. A plataforma vem sendo alvo de diversas notícias na imprensa, porém não por um bom motivo: seus responsáveis supostamente usaram milhões de fotos de influenciadores sem autorização.

A denúncia partiu da plataforma LIKEtoKNOW.it, da rewardStyle, que enviou emails à sua imensa base de influenciadores filiados. Esse serviço é conhecido por facilitar que pessoas comuns encontrem para vender os produtos vistos em perfis famosos nas redes sociais — vem daí o contato com milhares de influenciadores ao redor do mundo.

Segundo a denúncia, o PopSugar usou as imagens de seus influenciadores de maneira ilegal, sem qualquer tipo de autorização, e ainda fez dinheiro com isso.

“Ontem à tarde, tomamos conhecimento que o Popsugar.com não apenas reaproveitou conteúdo de influenciadores sem o seu consentimento, mas também retirou todos os links comissionáveis do rewardStyle e os trocou por links afiliados ao ShopStyle em milhares de perfis falsos no Popsugar.com”, informa o email assinado pela criadora da rewardStyle Amber Venz Box.

LIKEtoKNOW.itPlataforma LIKEtoKNOW.it acusa PopSugar de ter roubado milhões de fotografias de seus influenciadores.

ShopStyle é a plataforma de comércio eletrônico com foco em produtos de moda da PopSugar, ou seja, uma espécie de rival da rewardStyle/LIKEtoKNOW.it. Desde que a denúncia veio à tona, nesta semana, o portal acusado de roubar as fotos tratou de remover todas elas do site e também de explicar o ocorrido.

Explicação e pedido de desculpas

Em sua conta do Twitter, o criador do PopSugar Brian Sugar afirmou que, durante um hackaton, a empresa criou uma ferramenta para “analisar blogueiros de moda e beleza e os produtos usados por eles”. O mecanismo teria usado APIs públicas para “compreender as tendências em marcas, lojas e categorias”, e o os links foram modificados apenas para fins de “compreensão interna de tendências”.

Assim, todo esse conteúdo teria ficado oculto da indexação de serviços de buscas e também das mídias sociais. “Nós percebemos rapidamente que esse experimento não estava funcionando e decidimos não continuar com ele”, escreveu o executivo.

Apesar de ter solicitado o fim do projeto, ele continuou operando, e Brian Sugar só teria ficado sabendo disso no último domingo (15), quando tudo foi finalmente removido do site. Durante esse período, que não fica claro de quantos dias foram exatamente, o PopSugar teria arrecadado apenas US$ 2.695 com as imagens de influenciadores obtidas de forma não autorizada, informa o seu criador, que pediu desculpas.

“Eu sinceramente peço desculpas por toda a dor que isso possa ter causado e me sinto terrível sobre como isso fez as pessoas se sentirem”, finalizou Sugar. Ainda não se sabe quais medidas serão tomadas por Venz Box e sua empresa, mas é bem provável que o caso vá parar na Justiça.