Amanhã, sexta-feira dia 30 de março, teremos o feriado religioso conhecido como a Sexta-feira Santa ou da Paixão. Por conta da predominância da cultura cristã católica no Brasil, a data foi adotada como feriado nacional. Para os fiéis, contudo, este não é simplesmente um dia para descer para praia ou ir visitar os parentes no interior. A tradição diz que se trata de uma data de abstinência, de jejum. Mas será que, em vez de não comer carne vermelha, você pode se privar de internet?

Essa ideia já pode ter ocorrido para alguns de vocês, e, por isso, a gente resolveu consultar um padre para aliviar a curiosidade. “O exercício da abstinência não se resume à esta sexta-feira, muito menos às práticas alimentares”, conta o Padre Edson Ribeiro, da Diocese de Leopoldina, em Minas Gerais.

A abstinência de Internet ou dos meios de comunicação também é uma forma válida de sacrifício

Ele nos contou que, oficialmente, a Igreja Católica pede que os fiéis façam jejum de carne vermelha. Portanto, trocar a carne pela internet, por exemplo, não é exatamente algo ortodoxo, tampouco recomendado. Mas isso não quer dizer que um católico não deva fazer o jejum de carne paralelo ao de internet. “A abstinência de Internet ou dos meios de comunicação também é uma forma válida de sacrifício, visando um amadurecimento espiritual”, explica.

Exercício

O amadurecimento espiritual do qual Pe. Ribeiro fala tem a ver com um entendimento de que o cristão não deve se entregar totalmente a seus desejos. Assim, se uma pessoa acredita que usar a internet demais pode ser algo negativo, ela pode tentar fazer o que os católicos chamam de “exercício ascético”.

Isso se dá quando o indivíduo busca controlar seus desejos para não se tonar alguma espécie de escravo ou criar uma dependência extrema. “Para chegar a esse ponto, é preciso viver o exercício da abstinência”, Pe. Ribeiro fala. “Toda a forma de sacrifício visando o autodomínio é válida sim, porém, no que diz respeito à Sexta-feira da Paixão, a Igreja nos dá a orientação direta da abstenção de carne”, completa.

Portanto, se você já havia considerado a possiblidade de fazer o sacrifício de não usar a internet por 24 horas em algum momento, talvez a oportunidade seja amanhã. Só não vale trocar o tradicional pelo novo, ao que parece. Isso é para os cristãos, obviamente. Mas mesmo se você não fizer parte desse grupo, um pouquinho de autocontrole no uso excessivo da web não vai fazer mal algum.