De acordo com informações da Reuters, o Spotify confirmou que cerca de 2 milhões de usuários gratuitos do seu serviço de streaming estavam “pirateando” a plataforma. Essas pessoas estariam criando contas gratuitas — que possuem uma série de limitações para o streaming de músicas em relação às Premium — e, em seguida, baixando versões adulteradas dos apps do Spotify em seus dispositivos.

Seria possível conseguir algumas funções do Spotify Premium sem ter que pagar uma assinatura mensa

Com essa prática, seria possível conseguir algumas funções do Spotify Premium sem ter que pagar uma assinatura mensal. Entre as possibilidades de trapaça, esses apps adulterados poderiam evitar completamente a execução de anúncios entre as músicas e também permitir que usuários pulem faixas sem limites.

Depois de descobrir a fraude, o Spotify bloqueou as contas que usavam os apps adulterados e enviou um email alertando sobre o bloqueio. Segundo o TorrentFreak, as contas só seriam desbloqueadas quando os usuários baixassem os apps originais do Spotify e parassem de usar os adulterados.

Prejuízo

Não se sabe, contudo, qual seria o tamanho do prejuízo de fato que esses dois milhões de usuário teriam gerado ao Spotify, nem mesmo há quanto tempo o esquema estaria sendo explorado.

Segundo dados oficiais de dezembro, o Spotify já teria mais de 157 milhões de usuários, sendo 86 milhões possuem contas gratuitas suportadas por anúncios e 71 milhões de assinantes Premium.

Cupons de desconto TecMundo: