A partir do ponto de vista da segurança, o Adobe Flash Player sempre foi um grande pesadelo digital. Se fosse colocado no Atlântico, o plugin afundaria mais rápido que o Titanic. Mas, graças aos esforços de empresas como Google, Mozilla e Microsoft, essa ameaça travestida de solução para a web está pela hora da morte. De acordo com dados divulgados pela Google na semana passada, em 2014, 80% dos usuários do Chrome carregavam algum elemento em Flash pelo menos uma por dia na internet. Hoje, apenas 8% dos usuários do browser ainda fazem isso diariamente.

Com o passar dos anos, a Google vem gradativamente restringindo o carregamento de elementos em Flash no Chrome para desencorajar o uso da ferramenta por parte dos desenvolvedores web. Primeiro, o navegador ofereceu uma opção para desativar a ferramenta, depois, passou a forçar os usuários a clicarem nos elementos em Flash que eles encontravam na web para que, só então, esses itens fossem carregados. Depois, o Flash passou a ser desativado por padrão e, em breve, em julho de 2019, o plugin será totalmente banido do Chrome.

Em julho de 2019 o plugin será totalmente banido do Chrome

Um movimento muito similar aconteceu com o Mozilla Firefox, que foi gradualmente expurgando o Flash, tornado seu uso mais difícil para o usuário final. Com isso, os desenvolvedores de sites passaram a adotar o HTML5, que é um padrão muito mais moderno, poderoso e seguro.

Outros browsers seguiram a mesma linha das ofertas da Google e da Mozilla e, em 2017, a própria Adobe anunciou que estava descontinuando o Flash Player. Contudo, o plugin vai receber atualizações de segurança até 2020. Mas para estar seguro de fato, entretanto, é melhor se certificar de que ele não está em seu computador ou navegadores.

Parisa TabrizParisa Tabriz, da Google, falando sobre o fim do Flash Player no Distributed System Security Symposium (NDSS)

É importante, contudo, considerar que o Flash Player começou uma verdadeira revolução na internet nos anos 2000. A ferramenta oferecia possibilidades de uso e elementos visuais muito modernos para a época, mas logo se tornou alvo favorito de cibercriminosos. Apesar de ele ter sido importante em um momento, é importante hoje que ele seja substituído e que descanse em paz.