De acordo com informações do Motherboard, um vídeo polêmico e sensacionalista chegou à capa do YouTube basicamente criando uma teoria da conspiração acerca de um estudante que sobreviveu ao mais recente tiroteio em uma escola norte-americana, desta vez na Flórida. O clipe tentava descreditar entrevistas que a vítima deu à imprensa dos EUA sobre a situação na escola que foi atingida pelo criminoso, que matou 17 adolescentes e feriu vários outros.

O vídeo ficou várias horas na tela “Em alta” do YouTube nos EUA afirmando que o estudante que deu seu depoimento na TV era um ator, que estava ali apenas para moldar a opinião pública a respeito do controle de armas nos EUA. Só pelo fato de o jovem ter morado em outro lugar em determinado momento de sua vida, o vídeo diz que sua história é completamente mentirosa. Por lá, é relativamente fácil comprar basicamente qualquer tipo de arma, o que é apontado como um dos fatores que facilita a ocorrência de tiroteios trágicos em escolas.

motherboard

A última vez que um vídeo indevido, que claramente ia contra as políticas do YouTube, chegou à capa do site foi quando o youtuber Logan Paul publicou seu vídeo sobre a floresta do suicídio japonesa. O vídeo precisou ser removido pelo próprio autor, depois de uma recepção extremamente negativa de seus inscritos.

Depois desse ocorrido, o YouTube chegou a afirmar que contrataria mais pessoas para ajudar a moderação de seu site, mas parece que a situação ainda não foi corrigida por lá. Em um comunicado oficial ao Motherboard, a plataforma tentou explicar a situação.

“Esse vídeo nunca deveria ter aparecido entre os vídeos ‘Em alta’. Pelo fato de o clipe conter imagens vindas de um canal de TV confiável, nosso sistema o classificou erroneamente. Assim que tivemos conhecimento do vídeo, nós o removemos da seção ‘Em alta’ e também do YouTube por violar nossas políticas. Estamos trabalhando na melhoria dos nossos sistemas para o futuro”, disse um porta-voz oficial o YouTube.