O órgão responsável por regular a internet na China fechou ou revogou a licença de mais de 13 mil sites considerados ilegais pelo governo chinês ao longo dos últimos três anos, informou neste final de semana a agência de notícias estatal Xinhua. Segundo a publicação, as autoridades ainda cobraram explicações de outros 2,2 mil sites.

O site informa ainda que aproximadamente 10 milhões de contas de usuários foram encerradas por violarem o protocolo de serviço da rede no país — provavelmente por não utilizarem dados reais no cadastro obrigatório para usar a internet por lá. A agência de notícias do governo chinês garante também que foram removidos milhares de conteúdos relacionados a terrorismo e pornografia da internet chinesa.

Donos de outros 2,2 mil sites foram chamados para prestar esclarecimentos às autoridades desde o início de 2015

O acesso à rede na China vem sendo controlado de perto pelo governo especialmente após a ascensão do presidente Xi Jinping, há cinco anos. Críticos do regime chinês afirmam que tal controle é uma ação de censura e tem como fim restringir a liberdade de expressão no país asiático. O governo, por sua vez, defende que todos os países do mundo regulam a internet em seus territórios e que a medida visa garantir a estabilidade social e a segurança nacional.

Em uma pesquisa realizada pelo governo, 90% da população chinesa estaria a favor do controle da internet no país, enquanto 63,5% dela acredita que ela está mais segura em anos recentes graças a esses esforços, informa a Xinhua.

Vale lembrar que serviços bastante utilizados em todo o mundo, como Google e Facebook, continuam proibidos por lá, fazendo com que plataformas chinesas tenham acumulado um verdadeiro império online, como são os casos de Baidu e Weibo.

Cupons de desconto TecMundo: