A agência reguladora de telecomunicações da Alemanha proibiu a venda de smartwatches focados em crianças. Segundo a instituição, eles são basicamente dispositivos para espionagem de menores devido a graves falhas de segurança.

“Através de um app, os pais podem usar esses relógios infantis para ouvir o ambiente em que a criança está sem que nenhuma indicação seja emitida pelo aparelho e, por isso, devem ser considerados um sistema de transmissão não autorizado”, disse a agência alemã em comunicado oficial.

Hacker com técnicas básicas de invasão de aparelhos conectados poderia interceptar toda a comunicação do aparelho

Além do mais, grande parte desses relógios, feitos por diversas fabricantes diferentes, transmitem e armazenam dados sem nenhum tipo de criptografia. Com isso, um hacker com técnicas básicas de invasão de aparelhos conectados poderia interceptar toda a comunicação do aparelho, bem como descobrir onde a criança está através do GPS embutido.

“Aparelhos com segurança fraca permitem invasão de privacidade. Isso é altamente preocupante quando se fala em relógios com rastreamento GPS para crianças, os mesmos dispositivos que deveriam ajudá-las a ficarem seguras”, disse Ken Munro, especialista de segurança da Pen Test Partners consultado pela BBC.

Anteriormente, a agência reguladora alemã já havia banido uma boneca conectada chamada  My Friend Cayla do mercado da mais importante economia europeia. “Essas proibições mandam uma forte mensagem aos fabricantes de produtos focados em crianças dizendo que esses dispositivos precisam ser mais seguros”, comentou Finn Myrstad de uma agência reguladora da Noruega sobre o caso na Alemanha.

Cupons de desconto TecMundo: