O YouTube está trabalhando pesado para retirar vídeos de extremistas islâmicos da plataforma. Anwar al-Awlaki ficou conhecido por ser um dos principais personagens a promover a violência e a guerra contra os Estados Unidos e inspirar terroristas em ataques ao redor do mundo – e a plataforma está removendo todos os vídeos relacionados ao clérigo.

De acordo com o The New York Times, centenas de vídeo de al-Awlaki, datados de 2010, foram retirados do ar. Todos incitavam a violência de forma explícita e foram citados como inspiração para ataques terroristas, como da Maratona de Boston e outros. Anwar ainda postou milhares de outros vídeos, alguns explicando a história do Islã, que também foram removidos – alguns deles, segundo a fonte, por pressão governamental.

No total, al-Awlaki estava associado a cerca de 70 mil vídeos. Desses, apenas 18,6 mil ainda estão disponíveis, a maioria sendo notícias sobre a sua história. Os responsáveis pela limpa dos vídeos do clérigo afirmam que, embora as regras do YouTube deixem claro que vídeos que incitem o terrorismo não são permitidos, o caso de eliminar absolutamente todos os vídeos de Anwar é uma exceção.

Diversos sites estão sofrendo pressão crescente de órgãos governamentais para melhorar o controle sobre vídeos que incitam a violência e atividades extremistas. O YouTube, por exemplo, listou quatro medidas que devem ser adotadas para evitar que esse tipo de conteúdo permaneça na plataforma, entre a melhoria no uso de ferramentas automatizadas, trabalho mais próximo com grupos antirradicais e melhorando também o sistema de denúncia.

Cupons de desconto TecMundo: