Seis anos após a morte de um dos maiores terroristas do mundo, a CIA (Agência de Inteligência dos Estados Unidos) está divulgando os arquivos que foram encontrados no computador apreendido na operação. É claro que estamos falando de Osama Bin Laden, um dos principais responsáveis pelo atentado de 11 de setembro de 2001.

De acordo com a agência, o objetivo de liberar os quase 470 mil arquivos é mostrar que as centenas de gigabytes de arquivos é simples: "Permitir que os americanos tenham mais informações sobre os planos e trabalhos" de Bin Laden e das células terroristas às quais ele era pertencente — apesar de haver mais curiosidades do que planos nos documentos divulgados.

Osama Bin Laden

Só que havia muito mais do que isso no disco rígido. Como mostrado por David Thorpe e pela própria CIA, ele era um colecionador de downloads ilegais. Na lista de filmes pirateados que ele possuía em sua casa, havia vários filmes de animação (FormiguinhaZ, Era do Gelo, Carros e O Galinho Chicken Little), documentários do National Geographic, filmes sobre o próprio Bin Laden e vários outros.

Mais curioso, havia também uma grande coleção de vídeo virais do YouTube (incluindo lições de crochê e "Charlie Bit My Finger") emuladores e jogos orientais do tipo "Babe-game" — jogos "de encontro" nos quais é necessário cumprir desafios para fazer com que garotas tirem a roupa. Vale dizer que esses arquivos podem não ser exclusivamente de Bin Laden, podendo ser também de outros membros da Al-Qaeda. 

Também é importante mencionar que nem tudo foi divulgado. A CIA afima que havia muito material pornográfico e outros que "diretamente danificam os esforços para manter a nação segura" e esses vão ser mantidos em sigilo. 

Cupons de desconto TecMundo: