A internet é um imenso oceano em que informações verídicas coexistem com um chorume de notícias falsas. Para combater os boatos mentirosos, alguns dos principais sites do mundo têm lançado ferramentas de verificação de fatos e dado preferência para páginas que postam informações verdadeiras.

É o caso de plataformas como Google, Facebook e, agora, Bing. O buscador da Microsoft passa a mostrar um selo de verificação no qual antecipa para quem realiza uma busca se tal informação é verdadeira ou não. Para isso, ele utiliza informações de sites como PolitFact e Snopes, agências especializadas em verificação de fatos (ou fact checking, como a expressão é conhecida em inglês).

A novidade funciona assim: quando alguém procura por uma informação duvidosa no Bing, os resultados mostram a expressão “Fact checked by” (fato verificado por) e o nome da organização responsável pela sua verificação. Depois, uma das expressões “false” (falso), “true” (verdadeiro) ou “somewhere in between” (algo entre falso e verdadeiro) aparece para cravar se o rumor é verdadeiro ou não.

Captura de tela do BingSelo de verificação de fatos no Bing.

É lógico que esse não é um sistema perfeito e muita notícia falsa ainda pode ultrapassar as barreiras da verificação. O Bing informa que o seu código de verificação de fatos pode ser mal utilizado pelas mesmas pessoas que criam notícias falsas, mas a ideia é cruzar dados a fim de exibir sempre informações de páginas comumente associadas ao uso de critérios aceitáveis de verificação de fatos e exibir os seus resultados por primeiro.

A novidade ainda não está disponível no Brasil.

Cupons de desconto TecMundo: