A liberdade da internet na China acaba de sofrer mais um duro golpe nesta sexta-feira (25), quando a Administração do Ciberespaço da China (CAC), órgão que regulamenta a internet no país, divulgou um documento instruindo os sites a bloquearem os comentários de usuários não verificados.

Em suma, para comentar ou responder a um comentário em uma postagem de qualquer site chinês, os cidadãos de lá precisarão usar um registro feito com seu nome real. O cadastramento junto aos sites chineses começa a partir de 1º de outubro deste ano, informa o site Yicai Global, especializado em notícias sobre a China.

Para comentar em sites chineses, usuários da internet precisarão realizar cadastros com seus nomes reais

De acordo com o governo, a medida vem para tentar evitar a disseminação de conteúdo ilegal por meio das chamadas “bullet screens”, que nada mais são do que comentários de espectadores que passam na tela durante uma transmissão ao vivo. O recurso se tornou uma febre na China e gerou preocupação no governo chinês.

O documento divulgado hoje é parte da Lei de Segurança de Rede, a primeira específica para cibersegurança da China promulgada em junho deste ano. Usando como premissa o combate ao compartilhamento de conteúdos com violência, terrorismo e pornografia, a lei já gerou investigações em três gigantes da internet chinesa — Weibo, WeChat e Tieba.

Cupons de desconto TecMundo: