Estamos na era das assistentes virtuais, com praticamente toda grande empresa de tecnologia tendo sua própria versão: Siri da Apple, Bixby da Samsung, Cortana da Microsoft, Alexa da Amazon e algumas outras. Com tantas opções no mercado, era de se esperar que algumas tivessem mais popularidade que outras e a concorrência nessa área é bastante acirrada.

Em uma entrevista para a Wired, Qi Lu, engenheiro e ex-funcionário da Microsoft (na época, vice-presidente executivo da empresa fundada por Bill Gates), revelou o que considera ter sido o ponto chave que fez a Alexa ser muito mais popular que a Cortana, apesar da assistente virtual da Microsoft ter sido criada antes da versão da Amazon.

Segundo ele, no que chamou de “corrida para a inteligência artificial”, o segredo é ter os cenários de aplicação e os ecossistemas certos, mesmo com uma tecnologia em um nível ainda não tão bem desenvolvido. Apesar da Google e da Microsoft terem saído na frente da Amazon em termos de desenvolvimento, a empresa de Jeff Bezos soube aplicar melhor a IA que criaram.

Qi Lu, ex-funcionário da Microsoft

No lugar certo

Para Qi Lu, a Amazon acertou na aplicação prática da Alexa, criando dispositivos de IA que realmente caíram no gosto dos usuários. Enquanto isso, a Microsoft aposta na aplicação da Cortana apenas em dispositivos como smartphones e computadores com Windows 10. O fracasso contínuo da empresa no mundo dos dispositivos móveis pode também ter decretado o fracasso da assistente virtual.

Será que a Microsoft deveria se focar na produção de algum produto que tivesse como principal característica a inteligência artificial, assim como fez a Amazon, para que a Cortana finalmente decolasse e caísse nas graças do público? Conte para nós o que você nos comentários.

Cupons de desconto TecMundo: