O Annonymous, que costuma protestar com máscaras, é um dos grupos por trás do novo projeto. (Fonte da imagem: Webtuga)

Cansados de atitudes isoladas contra sites de instituições como o FMI, a CIA e os vários serviços da Sony e outras indústrias de games, os grupos hackers parecem apontar para uma direção mais ambiciosa e perigosa. Os integrantes do LulzSec e do Annonymous, responsáveis pelas invasões mais divulgadas nas últimas semanas, anunciaram uma parceria para “fazer história”, como indica um documento de convocação postado na rede.

O plano foi batizado de Operation Anti-Security (postado como #AntiSec no Twitter) e consiste em uma guerra contra grandes organizações ligadas a governos mundiais. Além dos integrantes das duas equipes, foram convocados hackers de todo o mundo que desejem espalhar a mensagem de rebeldia.

O LulzSec é o outro grupo envolvido na guerra contra governos. (Fonte da imagem: Wikinoticia)O objetivo consiste em invadir as páginas dessas companhias e acessar informações confidenciais como contas bancárias e emails para detectar irregularidades e corrupções, que seriam posteriormente divulgadas em postagens nas páginas das equipes.

Os alvos primários seriam bancos ligados ao governo. O supergrupo até já declarou quem foi a primeira vítima do AntiSec: a SOCA, agência britânica que combate o crime organizado, que teve seu sistema derrubado nesta segunda-feira (20).

Até agora, nenhum governo fez declarações a respeito da aliança. Por enquanto, as atitudes policiais contra essa nova geração de grupos hackers ainda são escassas e restritas a pequenas prisões na Espanha e na Turquia, mas os ataques mais sérios podem levar os países a tomarem medidas mais severas no futuro.

Cupons de desconto TecMundo: