(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

Atualmente, sempre que pensamos em assistentes pessoais funcionando em conjunto com sistemas operacionais portáteis nos lembramos do Siri, introduzido pela Apple no iOS 5. Outro nome bastante conhecido é o do Google Now, que trabalha com diversos sistemas, mas é mais bem integrado ao Android da própria Google. Mas existe algo que os dois têm em comum e que pode atrapalhar bastante a utilização em alguns momentos.

Estamos falando do fato de eles serem completamente baseados em nuvens. Ou seja, eles precisam da internet para que possam ser utilizados — tanto em redes móveis quanto em WiFi. No caso da ausência de uma rede disponível, a utilização do assistente fica totalmente impossível, como você já deve imaginar. Porém, o modelo da Intel não deve passar por esse problema, pois ele terá funcionamento offline.

Segundo o Quartz, o sistema Jarvis terá essa grande vantagem em relação aos competidores. Dessa forma, não importa qual a situação em que o usuário estiver, ele poderá utilizar os recursos do assistente pessoal sem qualquer problema — não foi informado se os dados de internet serão pré-carregados ou se eles serão desnecessários. Mas essa não é a única vantagem da utilização de um sistema offline.

A Intel ainda garante que a deposição dos dados em um sistema fora das nuvens pode garantir muito mais velocidade no acesso a eles. É preciso lembrar que o Jarvis está muito longe de ser levado ao mercado, mas é interessante esperar para ver o que a Intel pode fazer nesse mercado durante os próximos anos — período em que as tecnologias vestíveis devem finalmente atingir o sucesso comercial.

Cupons de desconto TecMundo: