WYSIWYG é uma sigla em inglês formada pelas iniciais da expressão “What You See Is What You Get” e quer dizer “O que você vê é o que você obtém”. O termo é usado para classificar ferramentas de edição e desenvolvimento que permitem visualizar, em tempo real, exatamente aquilo que será publicado ou impresso.

Exemplos de Aplicação

O exemplo mais popular de um aplicativo WYSIWYG é o Microsoft Word. No modo “Layout de Impressão”, o usuário pode ver exatamente o que será impresso no papel enquanto edita o documento. O que não acontece com alguns editores de conteúdo da Web, por exemplo, que utilizam apenas códigos para formar uma página da internet.

Web

A maioria dos aplicativos WYSIWYG lançados atualmente são editores de páginas da internet. Os serviços de postagens de blogs, por exemplo, utilizam esse método para publicar um artigo. Dessa forma, qualquer usuário consegue criar ou editar um post sem entender nada de linguagens de programação.

Opções do Blogger permite que o usuário visualize o conteúdo antes de publicar.

Para que um texto publicado na internet apresente cores, imagens e outros elementos multimídia, é necessário que a página seja programada utilizando diversos códigos. Para se ter uma ideia melhor de como isso é complicado, clique com o botão direito do mouse em qualquer parte desse texto e selecione a opção “Código fonte” no menu de contexto. Em seguida abrirá uma janela com todo código utilizado na página.

O código fonte pode ser criado ou editado em um Bloco de Notas normalmente, contudo, o processo de desenvolvimento pode demorar muito, pois não é possível visualizar o resultado final do produto sem antes publicá-lo. Isso não acontece com aplicativos WYSIWYG, pois eles permitem que o usuário pré-visualize o que será publicado e, assim, possa fazer as alterações necessárias.

Vantagens e desvantagens

A grande vantagem de usar um software WYSIWYG é que o usuário não precisa decorar códigos e, com isso, economiza tempo no desenvolvimento do seu projeto. Isso é ideal para quem não possui muita experiência em programação e precisa colocar um site no ar com baixo custo.

No entanto, o programador corre o risco de ter um produto com o código “sujo”, o que pode interferir no desempenho do produto final. Essa “sujeira” acontece porque o aplicativo WYSIWYG pode inserir códigos desnecessários no documento que não são visíveis no momento da criação. Veja a seguir:

  • Exemplo de código sujo: <strong>Baixaki</strong> <strong>Download</strong>
  • Exemplo de código limpo: <strong>Baixaki Download</strong>

    Os dois exemplos apresentarão a frase inteira em negrito, porém, no primeiro exemplo utilizamos 18 caracteres a mais do que no segundo. Ou seja, não é necessário ter um código de negrito para cada palavra. Isso pode parecer uma coisa sem importância, mas em um documento inteiro pode tornar a página bastante pesada.

    Esse detalhe não aparece na pré-visualização e só pode ser percebido olhando no código fonte.  Por essas razões programadores mais experientes preferem utilizar a edição por códigos ao invés de aplicativos WYSIWYG.

    Um pouco de cada

    Existem ferramentas que permitem mesclar os dois métodos, como o DreamWeaver da Adobe Macromedia. Dessa forma, o programador consegue criar sites com facilidade e, ainda por cima, consegue revisar o código fonte para retirar os excessos que o software não é capaz de identificar sozinho.

    Exemplo de um método híbrido do DreamWeaver no Baixaki.

    É claro que o uso de cada método (e de cada software) depende do grau de instrução do profissional que está trabalhando no projeto. Porém, aplicativos WYSIWYG permitem que pessoas com menos instrução consigam “dar conta do recado”, como em um blog.

    Outras siglas

    Existem outras siglas que circulam pela internet, mas a maioria delas são gozações acerca do WYSIWYG. Isso acontece porque alguns “puristas” de Webdesign desaprovam o uso desses aplicativos e procuram ironizar o termo.

    No entanto, existe uma nova sigla que promete ser um novo passo para o desenvolvimento de aplicações: o WYSIWYM (What You See Is What You Mean) que significa “O que você vê é o que você quer dizer”. Ele envolve ferramentas ainda mais técnicas que prezam pela informação  (semântica), e não pela formatação, como é feito no WYSIWYG.

    separador

    Independentemente do termo, método, ou software que você use, é importante ficar sempre bem informado no que está sendo lançado na Web para enriquecer seus conhecimentos. Por isso, fique ligado nas dicas e programas publicados no Baixaki, e até a próxima.

    Cupons de desconto TecMundo: