Nesta semana, o Channel 4 News divulgou o vídeo “Crianças do Califado”, que mostra como funciona o recrutamento de meninos para que eles se tornem soldados e homens-bomba do grupo terrorista Estado Islâmico. Além disso, ele também conta o que acontece com aqueles que se recusam a ingressar na organização que tem espalhado o medo ao redor do mundo – principalmente em países como a Síria e o Iraque.

Cenas de treinamento de guerra podem ser vistas sendo praticadas por meninos que recém entraram na puberdade, em imagens divulgadas pela própria organização criminosa. Um deles, Omar, não queria cometer os atos de guerra e, mesmo com apenas 14 anos, teve os pés e as mãos decepados, como forma de alertar os outros sobre o perigo de recusar a oferta do Estado Islâmico.

Talvez uma das cenas mais chocantes de todo o vídeo seja o momento em que um menino que mal sabe andar aprende a decapitar um ursinho de pelúcia – um treinamento claro para repetir cenas que chocaram o mundo nos últimos meses.

Vídeo mostra bebê decapitando um ursinho de pelúcia

Crianças-bomba

A idade dos meninos do vídeo também é outra informação alarmante: a maioria entre 10 e 14 anos. Ou seja, a próxima geração de terroristas que vai continuar a praticar atos de extrema violência contra cidadãos inocentes, que já estão fragilizados por pobreza, perseguição e fome.

Muitos dos infantes, inclusive, se tornam homens-bomba sem sequer atingir a maioridade. Meninos de até 8 anos estão sendo usados em atentados desse tipo, mostrando o poder e a influência que o Estado Islâmico tem na população. O alvo principal, segundo uma das professoras dessas crianças, é o governo do presidente sírio, Bashar al-Assad. Entretanto, a hipótese de ataques ao Ocidente não está descartada.

***

O que você pensa sobre o assunto, caro leitor? Consegue imaginar uma criança tão pequena sendo obrigada a praticar crimes tão violentos?

Via Mega Curioso.

Cupons de desconto TecMundo: