(Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock)

Eric Grosse, vice-presidente de engenharia de segurança da Google, disse ao jornal The Washington Post que a companhia está correndo para criptografar o enorme volume de informações que percorre os seus data centers na tentativa de impedir que agências de inteligência governamentais bisbilhotem esse conteúdo.

“É uma corrida armamentista. (...) Nós vemos essas agências governamentais como os jogadores mais habilidosos nesse jogo”, comentou o executivo da Gigante das Buscas.

Segundo Grosse, a empresa já vem trabalhando nesse tipo de sistema de segurança há mais de um ano, mas que intensificou os trabalhos após junho, depois que Edward Snowden vazou informações que delatam um projeto da NSA (a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos) chamado PRISM — o qual consiste em práticas de espionagem na internet e até fora dela.

(Fonte da imagem: Reprodução/Terra)

O vice-presidente de engenharia de segurança da Google disse que a criptografia de tudo que passa pelos domínios dos servidores da companhia não é garantia de que nunca mais ninguém consiga acessar esses dados, mas que deve dificultar ações invasoras — seja de órgãos de inteligência ou mesmo de hackers “independentes”.

Além disso, Eric Grosse lembra que a empresa também é obrigada a fornecer informações mediante ordens judiciais. Contudo, a Google quer e pretende preservar a privacidade e a integridade daquilo que armazena.

Cupons de desconto TecMundo: