Ainda que a internet seja considerada um campo livre de comunicação e compartilhamento de ideias, basta que o acesso à rede – ou a parte dela – seja revogado para que os cidadãos percam imediatamente o acesso à informação. Os próprios produtores e disseminadores de conteúdo também são afetados por isso quando suas páginas são tiradas do ar à força. Para combater essa censura digital, a Associação Interamericana de Imprensa (SIP) e a Google se juntaram com o objetivo de impedir que ataques DDoS possam ferir a liberdade de expressão.

De acordo com o comunicado emitido pela Gigante das Buscas na última sexta-feira (14), a ideia com a parceria é que seja possível expandir tanto a disponibilidade quanto a adoção do Projeto Shield. Desenvolvido pela Jigsaw, o Shield é uma ferramenta gratuita que utiliza a tecnologia e infraestrutura do Google para proteger sites de notícias em toda a América Latina de ataques distribuídos de negação de serviço.

Os ataques DDoS são um perigo real para o compartilhamento de informações

Mal do século

É fácil entender porque a dupla quer garantir que todos os membros da associação estejam protegidos contra ataques do tipo DDoS. Sabe quando algum colega compartilha um link que contém uma revelação bombástica – seja econômica, política ou pessoal – a respeito de algum magnata, companhia ou partido, mas quando você vai acessar o endereço ele não pode ser encontrado ou apresenta algum erro? O servidor em questão pode ter sido derrubado através de uma enxurrada de acessos simultâneos para evitar que o material se espalhasse na rede.

Ah, e não pense que isso afeta apenas organizações independentes, associações de direitos humanos e grupos que seguem de perto a atividade do governo – todos sobre a tutela do Projeto Shield. Embora essas figuras menores de monitoramento da sociedade sejam o alvo principal dos censores virtuais – já que possuem menos recursos para se defender –, grandes portais de notícia e até canais públicos são constantemente desafiados a continuarem no ar por conta de matérias que podem desagradar certos públicos.

O DDoS já é considerado uma das formas mais perigosas de censura online no século 21

Segundo um levantamento feito pela NeuStar, as chances de uma empresa ser atacada pela primeira vez são de 50%, enquanto a chance de ela ser atacada novamente sobe para 80%. Ao todo, estima-se que 50% dos sites de mídia já foram atingidos por ataques DDoS, com esse método de agressão virtual crescendo a um ritmo tão alarmante que já é considerado uma das formas mais perigosas de censura online no século 21.

"À medida que o consumo de notícias tem sido cada vez mais digital, há evidências preocupantes de que novas formas de censura estão crescendo, o que poderia limitar a capacidade dos editores de entregarem notícias, opiniões e análises para um número cada vez maior de pessoas nas Américas”, explicou Pierre Manigault, presidente da SIP. O executivo disse ainda que a parceria espera oferecer proteção total para a região e reafirmou o compromisso da SIP em estar na linha de frente na defesa pela liberdade de expressão.

Segurança virtual

O Projeto Shield foi criado pela Jigsaw, uma empresa da Alphabet, atual proprietária da Google. Lançado no início de 2016, o serviço pode ser integrado gratuitamente a sites, portais e até mesmo blogs de notícias, jornalismo, direitos humanos e monitoramento político. Basta acessar este link para conferir todas as informações a respeito da empreitada – em inglês ou espanhol – e fazer o seu cadastro na plataforma. Se a sua página estiver elegível depois do período de análise, basta seguir as instruções de configuração para estar protegido.

A defesa em camadas do Projeto Shield deve garantir a proteção do seu site

Bastante robusto, o sistema utiliza uma defesa multicamadas construída em cima da infraestrutura da Gigante das Buscas para proteger as publicações contra toda a gama de ataques DDoS, grandes e pequenos, vetoriais e multi-vetoriais. De forma geral, o Shield age como uma espécie de barreira natural para o seu site, com qualquer visita primeiro precisando passar pelo seu crivo antes de ser autorizada. Assim, requisições maliciosas são detectadas e rejeitadas, enquanto acessos comuns recebem o conteúdo normalmente – via Google Cloud.

E aí, será que esse é um bom primeiro passo para garantir que você não seja impedido de conferir certas notícias e acontecimentos pelo mundo ou, eventualmente, os censores vão acabar encontrando um meio de burlar esse sistema? Deixe a sua opinião mais abaixo, na seção de comentários.

Cupons de desconto TecMundo: