A ferramenta Map Maker foi criada para agir como uma colaboração ao Google Maps, ajudando a empresa a aprimorar seu sistema de localização. Contudo, quando um serviço é aberto para qualquer usuário utilizar, definitivamente alguém vai usá-lo para zoar de alguma maneira – afinal, a zoeira não tem limites.

Depois de surgir um desenho do mascote do sistema operacional Android urinando sobre o icônico logotipo da Apple em um mapa da região de Istambul, a Google se envolveu em uma grande polêmica. Mesmo depois de descobrir que a ilustração era obra de um internauta, a companhia desligou o serviço para evitar futuros problemas.

Contudo, em uma recente postagem de blog, Pavithra Kanakarajan, a gerente de projetos do Google Map Maker, disse que o serviço voltará em etapas, sendo a primeira delas em agosto. Mas e quanto à moderação do conteúdo? Segundo a gerente, a ideia é engajar a própria comunidade a policiar o aplicativo.

Uma ferramenta gerenciada pela comunidade local

Kanakarajan explicou que a ideia é escolher alguns poucos usuários que estejam dispostos a moderar o mapa da região em que moram. Esta decisão foi tomada por conta do número reduzido de funcionários dedicados ao Map Maker e que não conseguem avaliar todo o conteúdo criado pelos demais internautas.

Você acha que o Map Maker vai funcionar se for gerenciado pela comunidade? Comente no Fórum do TecMundo

O gerenciamento da ferramenta será automatizado pelo Google e verificado pelos Líderes de Comunidade, enquanto os funcionários da companhia a verificarão apenas ocasionalmente. A gerente de projetos pediu aos usuários que tenham paciência pelo funcionamento integral da plataforma.

Cupons de desconto TecMundo: