Enquanto especulações acerca da provável “morte” do Google Glass pipocam internet afora, rumores sobre o lançamento da próxima versão do acessório ganham espaço sob os olhos de quem enxerga o futuro dos refletido nas lentes de óculos inteligentes.

Acontece que, segundo informa o site do The Wall Street Journal (WSJ), a Intel deverá fornecer os processadores para a próxima edição do periférico. A chegada do novo dispositivo está prevista para 2015, e não apenas novos chips irão fazer parte do hardware: memória RAM de 2 GB e compatibilidade com lentes de grau são outras das novidades esperadas.

Nenhum detalhe técnico sobre os processadores foi divulgado pelo WSJ, mas a parceria entre Google e Intel deixa evidente o fato de que a fabricante de chips está disposta a investir na frente de mobiles. Desenvolver redes de trabalho online dedicadas a hospitais e a fábricas, por exemplo, parecem ser outro dos objetivos visados por ambas as empresas.

A Intel vem tentando se consolidar no setor de mobiles já há algum tempo (Quark, Edison e o recém-lançado bracelete de luxo MICA são alguns dos produtos que contam com hardware da companhia). Mas a arquitetura ARM ainda é preponderante e impera em meio a esta fatia de mercado.

Um fôlego a mais para a bateria

As especificações técnicas dos novos processadores não foram mencionadas pela fonte responsável por veicular o rumor. Então que tipo de estratégia as empresas estão tramando? Um dos motivos que parece contribuir para a perda de popularidade do Google Glass é a performance de sua bateria.

Atualmente, a versão para desenvolvedores do aparelho pode ser usada por no máximo um dia. Os processadores que a Intel deverá fabricar aos óculos poderão, assim, otimizar este tempo – espera-se que a bateria da futura edição dure cerca de dois dias. Importante deixar claro que nenhum pronunciamento oficial foi emitido pela Google ou Intel. Fique ligado.

Cupons de desconto TecMundo: