Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/Teardown)

No dia 15 de abril, e somente nesta data, a Gigante das Buscas disponibilizou o Google Glass para ser comprado por qualquer morador dos EUA. A promoção era prevista para durar 24 horas ou enquanto durassem os estoques da companhia — o que obviamente não aconteceu e todas as unidades foram vendidas rapidamente.

O que assustou muita gente nessa ocasião foi o preço dos óculos de realidade aumentada da empresa: US$ 1,5 mil (o equivalente a R$ 3,4 mil), mais taxas. Contudo, essa sensação de valor abusivo pode se intensificar ainda mais, pois o Teardown, site mantido pela TechInsights e especializado na técnica de engenharia reversa, sugere que o custo de produção do Google Glass é menos de US$ 80 (cerca de R$ 180) — o que representaria míseros 5,33% do preço cobrado.

Segundo essa análise, o componente mais caro do dispositivo é o processador Texas Instruments OMAP 4430, que custa US$ 13,96. A câmera é vendida a US$ 5,66, o display pode ser encontrado por US$ 3 e a memória flash NAND de 16 GB da Toshiba custa US$ 8,18. Mesmo quando somadas várias outras peças com custos menos expressivos, o total para fabricar uma unidade é de US$ 79,78.

Não é bem assim...

Obviamente, o Teardown calculou unicamente os custos “físicos” do Google Glass, simplesmente somando o preço de cada peça que o compõe. O site não levou em consideração — e nem teria como — o dinheiro gasto ao longo de anos da companhia no laboratório Google X com o desenvolvimento do dispositivo e até mesmo de alguns de seus componentes.

E esse foi o argumento usado por um porta-voz da Gigante das Buscas, em entrevista ao The Wall Street Journal, para rebater as polêmicas causadas pela publicação do Teardown. Para o representante da Google, essa avaliação de custo está “completamente equivocada” e deveria ter sido mais cautelosa em suas observações.

(Fonte da imagem: Divulgação/Google)

O porta-voz foi além e exemplificou que até mesmo os valores considerados nesse levantamento estão errados. Um desses casos seria o da tela, peça que possui alta tecnologia embarcada para apresentar uma espessura tão fina e alta resolução de imagem e que teve o seu custo estimado em apenas US$ 3.

Apesar disso, a companhia não revelou os custos reais que possui com o Google Glass ou com qualquer um de seus componentes. O fato é que essa diferença de preço de custo estimado e valor de venda é extremamente grande, e isso é o que causa estranheza. Na sua opinião, a estimativa de custo foi leviana? Ou a Google viu a oportunidade de ganhar muito dinheiro com os seus óculos de realidade aumentada?

Cupons de desconto TecMundo: