Você pode não reconhecer de cara os nomes de James M. Merrill e Carlos Nataniel Wanzeler, mas sabe bem qual é o negócio que a dupla tocava no Brasil e no resto do mundo: eles eram os donos da Telexfree, o esquema de "marketing multinível" que atraiu muita gente em busca de um dinheiro que parecia bom demais para ser verdade. E era mesmo: o norte-americano Merrill, que atualmente enfrenta julgamento em sua terra natal, finalmente quebrou o silêncio e confessou o crime.

De acordo com o relato da comissão responsável por ouvir o executivo na semana passada, ele se declarou culpado por "operar em um esquema de pirâmide", fraude e conspiração a partir do Telexfree — um serviço telefônico baseado na tecnologia VoIP que funcionava só para movimentar o dinheiro a partir dos níveis de associados.

Um dos anúncios mirabolantes para fazer você entrar no esquema.

Segundo a UOL, Merrill terá que devolver ainda US$ 140 milhões em bens adquiridos por ele com a verba do Telexfree, incluindo mansões e veículos de luxo. Cerca de 1 milhão de brasileiros teriam entrado no esquema, que foi proibido em 2013 e considerado criminoso no país dois anos depois.

Merrill terá que devolver US$ 140 milhões (R$ 450 milhões) em bens adquiridos por ele com a verba do Telexfree.

A sentença do acusado deve sair no começo de 2017 e pode chegar a 10 anos de prisão. Já Wanzeler atualmente é tido como foragido: ele voltou ao Brasil, mesmo sendo acusado dos mesmos crimes por aqui.

Cupons de desconto TecMundo: