Com o Natal chegando, é hora de pensar no que você gostaria de ganhar do Bom Velhinho. Levando em conta as notícias mais recentes, é provável que as listas de presentes deste ano estejam repletas de leitores de livros eletrônicos, Wii Mini, iPhone 5 e até mesmo viagens para o espaço.

Mas se estivéssemos falando do Natal de 60 anos atrás, a lista seria muito diferente. Para ter uma ideia dos gadgets que deixavam adultos e crianças empolgados em 1952, a revista Popular Science percorreu o próprio arquivo de edições passadas e fez um levantamento dos acessórios mais populares da época.

1. Mesa especial para ferromodelismo

Segunda uma antiga edição da PopSci, as crianças normalmente se cansam de brincar com ferroramas porque os trilhos precisam ser montados no chão. Isso atrapalha a família toda e ainda deixa o detentor do brinquedo com a sensação de que o cenário é feito de carpete ou piso laminado de madeira, o que é um bocado sem graça comparado com as possibilidades que o ferromodelismo oferece.

(Fonte da imagem: Reprodução/Popular Science)

Por isso, a publicação sugeria que os pais das crianças construíssem uma mesa especialmente desenvolvida para brincar com o pequeno trenzinho: um tablado com uma abertura criada para caber o “condutor” da diversão.

2. O carro daquele ano

Muita gente costuma guardar as economias para comprar um carro novo no fim de ano. Se essas pessoas estivessem em 1952, o modelo escolhido seria, certamente, o Willys, um carro com centenas de quilos a menos do que os concorrentes e que podia alcançar a velocidade de 60 km/h em “apenas” 20,5 segundos, fazendo cerca de 14,8 quilômetros por litro de combustível.

(Fonte da imagem: Reprodução/Popular Science)

Na época, a revista chegou a testar o carango e percebeu que ele era capaz de um desempenho maior do que o anunciado pelo fabricante.

3. Uma boneca que cresce

Há no mercado brasileiro uma grande variedade de bonecas que andam, falam, tomam banho e até vão ao banheiro. Mas, é provável que não haja uma como essa da década de 50, que era capaz de um feito incrível: crescer!

(Fonte da imagem: Reprodução/Popular Science)

Equipada com um motor mecânico, esse brinquedo crescia junto com as suas crianças, já que a ação de cabos no interior da boneca fazia com que ela aumentasse alguns centímetros com o passar do tempo.

4. Utilitários para a cozinha

Cozinhar também era um hobby praticado por muitos, pelo menos se levarmos em conta que uma das edições da PopSci anunciava um gadget incrível e que, pelo visto, chegava para facilitar a vida das casas mais modernas: cortadores de tomate e de um tipo de bolinho conhecido como “roll”.

(Fonte da imagem: Reprodução/Popular Science)

Nas páginas da revista, a descrição dos produtos conta como eles são capazes de cortar fatias de tomates com precisão e sem desperdiçar o suco do vegetal, além de produzir rolls com formatos perfeitos. Realmente indispensáveis.

5. Máquina de costurar carpete

Parece um cortador de grama, mas é algo muito mais sensacional: uma máquina de costurar carpete. Basta juntar as bordas dos pedaços a serem unidos e passar esse equipamento por cima dele. Dessa forma, mecanismos especiais dessa maravilhosa invenção costurarão o remendo para você.

(Fonte da imagem: Reprodução/Popular Science)

6. GPS retrô

Não, não existiam GPS nos anos 50. Mas havia um gadget muito semelhante, não fosse o fato de ser totalmente analógico: um acessório para o painel do carro que exibia mapas e livrava o motorista de ter que dobrar peças enormes de papel enquanto dirigia.

(Fonte da imagem: Reprodução/Popular Science)

E se você está rindo por achar esse dispositivo velho e ultrapassado demais, saiba que ele possuía um recurso que nenhum GPS de hoje tem: era capaz de se transformar em uma bandeja para que o motorista repousasse alimentos enquanto guiava seu carro pelas estradas dos EUA.

7. Mais oxigênio para atletas

Essa é para quem se cansa rápido demais ao praticar exercícios físicos. Esqueça bebidas e géis energéticos: em 1952, a moda era levar um tanque de oxigênio para a academia. Bastava um pouco de uso do Vitalator, como era chamado o equipamento, para recuperar o fôlego e a disposição.

(Fonte da imagem: Reprodução/Popular Science)

8. Máquina de refrigerante

Nos Estados Unidos era famosa uma atividade conhecida como “soda jerk”, ou seja, a pessoa que servia refrigerantes para os clientes de uma lanchonete, por exemplo. Mas uma edição da  PopSci de 1952 anunciava uma revolução no mercado: um “robô” capaz de automatizar essa tarefa.

(Fonte da imagem: Reprodução/Popular Science)

Bastava depositar algumas moedas nessa máquina para que ela entregasse sua bebida favorita, algo semelhante com o temos hoje em muitas estações de metrô e praças de alimentação espalhadas pelo mundo. Mas, na época, era inovador.

9. Rede de descanso portátil

Imagine a seguinte situação: depois de algumas aulas, você sai para o intervalo e só pensa em encontrar um lugar confortável o suficiente para descansar por alguns minutos. Uma rede de descanso seria perfeita, não fosse o fato de que a escola não possui ganchos ou árvores capazes de aguentar esse aparato.

(Fonte da imagem: Reprodução/Popular Science)

Mas nada disso era problema em 1952, já que um novo acessório havia chegado ao mercado norte-americano. Apesar de parecer uma simples mochila, bastava tirá-la das costas para que ela se transformasse em uma rede de descanso que dispensava qualquer tipo de estrutura para ser montada. Parece ótimo para shows e festivais de longa duração, não?

Cupons de desconto TecMundo: