Michio Kaku: o físico mais simpático da atualidade (Fonte da imagem: Divulgação/Discovery)

Michio Kaku é considerado por muitos como o maior físico teórico da atualidade. Sempre presente na mídia e autor de vários best-sellers, Kaku pode não ser ter aquela aparência de cientista maluco que popularizou Albert Einstein, mas, com certeza, ele consegue se enquadrar em algo bem diferente daquele estereótipo do cientista de jaleco que não sai de dentro do seu laboratório.

Sempre exibindo muita simpatia, o físico é coautor de vários trabalhos, como a Teoria das Cordas. Além disso, Michio também é popular por transformar temas extremamente técnicos em algo relativamente fácil de ser entendido. Conheça um pouco mais sobre um dos maiores nomes da Física na atualidade.

Nascido para a Física

Apesar ter aparência oriental e nome de origem nipônica, Michio Kaku nasceu nos Estados Unidos, mais precisamente na Califórnia, no ano de 1947. Ele foi criado na região de San Francisco e, desde pequeno, se destacou no mundo da ciência.

O maior exemplo disso é o fato de que, ao participar de uma feira nacional de ciências, Kaku apresentou uma espécie de réplica de um acelerador de partículas criado por ele na garagem dos seus pais. Foi assim que ele chamou a atenção de Edward Teller, um grande físico da época, que o apadrinhou.

Dessa forma, as suas carreiras acadêmica e profissional começaram. Após ganhar a Hertz Engineering Scholarship (uma bolsa de estudos), Kaku se graduou em Harvard como o melhor aluno no curso de Física. Quatro anos depois, em 1972, ele já recebeu o seu Ph.D pelo Laboratório de Radiação de Berkeley (Berkeley Radiation Laboratory).

Desde então ele já publicou mais de 70 trabalhos acadêmicos, além de atuar no desenvolvimento de pesquisas, trabalhar como professor em várias instituições de renome e, de quebra, participar (e ser apresentador) de vários programas de rádio e TV. Não satisfeito, ele também aparece como convidado em vários eventos e palestras espalhados por todo o planeta.

Teoria das Cordas e Teoria de Tudo

Um dos principais trabalhos de Michio Kaku diz respeito à Teoria das Cordas. O estudo é famoso por defender a possível existência dos universos paralelos, porém o principal objetivo da teoria é entender o funcionamento do universo e a existência de todos os tipos de matérias.

Teoria das Cordas (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

Segundo ela, tudo o que compõe o universo existe em um nível mais baixo, chamado subquântico. Ali estão todas as forças da Física que conhecemos, como a Lei da Gravidade, por exemplo, bem como os blocos de construção que compõem todos os tipos de matérias existentes. Nesse “lugar”, por sua vez, todos esses “componentes” lembrariam pequenas cordas.

Dessa forma, essas cordas estariam ordenadas em níveis. O mais baixo seria o que engloba o Modelo-Padrão, aquele que os físicos utilizam atualmente para estudar a matéria e cujo personagem principal é o superfamoso Bóson de Higs. Esse modelo, porém, explicaria apenas 4% do conteúdo da matéria e energia de todo o universo. Com isso, outras cordas conteriam outros tipos de matéria, como a matéria escura e a energia escura, por exemplo.

Dessa forma, seriam elas que determinariam o comportamento do universo e de toda a matéria que o compõe. Seriam as vibrações das cordas que dariam as coordenadas para o funcionamento de toda essa “máquina”.

Universos paralelos: afinal, que piração é essa?

A Teoria das Cordas viria para ajudar na explicação da chamada Teoria de Tudo, buscada por vários físicos ao longo da nossa história, incluindo Albert Einstein. A ideia é identificar e entender todas leis da natureza e esclarecer todos os mistérios do universo em uma pequena equação.

Universos paralelos e viagens no tempo

Outro ponto que chama a atenção nos estudos de Michio Kaku é o fato de que o físico defende a existência de universos paralelos. De acordo com a Teoria das Cordas, existiriam cerca de 11 dimensões diferentes, e os universos seriam como bolhas que existem paralelamente. A ideia é que o nosso mundo está preso na superfície de uma bolha, que cresce sem parar – assim como as outras.

Físico renomado revela como será o futuroMichio Kaku e a máquina do tempo mais famosa do cinema (Fonte da imagem: Spedalejr)

Com isso, esses universos poderiam entrar em contato entre si, fazendo com que haja um certo tipo de interação entre as dimensões. Isso, por sua vez, poderia até mesmo permitir ações vistas somente nos cinemas, como saltos a lugares longínquos no universo ou então viagens ao passado.

O mundo tem medo da evolução tecnológica

Michio Kaku não é polêmico somente quando fala da Teoria das Cordas. O físico também acredita que o mundo teme a evolução tecnológica – e que o potencial da robótica é freado pelo medo que as pessoas têm de serem dominadas pelas máquinas (alguém aí falou no “Exterminador do Futuro”?).

Assim, segundo ele, o ser humano não está preparado para deixar que a inteligência artificial pense por si só – e não deveremos ver isso nas próximas décadas. Com isso, robôs continuarão sendo criados somente para tarefas repetitivas e mecânicas, da mesma forma que são aplicados atualmente em diversos tipos de linhas de montagem.

Lei de Moore

Outro ponto no qual Kaku vê limitação é no modo como a tecnologia que utilizamos hoje para o desenvolvimento de processadores é trabalhada. De acordo com o físico, a chamada Lei de Moore não deve durar mais do que dez anos.

Trocando em miúdos, a Lei de Moore afirma que o número de transistores que compõem um processador deve dobrar, em média, a cada 18 meses – o que consequentemente faz com que o poder de processamento dos computadores aumente. Porém, de acordo com Michio Kaku, o uso do silício acaba se tornando uma barreira à medida que os componentes que constroem um CPU se tornam pequenos demais.

Hoje em dia, utilizamos camadas de 20 átomos de comprimento na produção de um processador. Porém, quando chegarmos a apenas cinco átomos, não seremos capazes de lidar com os efeitos da chamada Teoria Quântica e de realizar qualquer tipo de previsão sobre o comportamento dos elétrons. Além disso, de quebra, o superaquecimento também seria um problema sem solução.

Por isso, o físico defende desde já a adoção de outras arquiteturas para a computação, como processadores moleculares ou quânticos. Os moleculares inclusive já existem, contudo cientistas e pesquisadores ainda não encontraram uma maneira de produzir esse tipo de produto em larga escala.

Michio, porém, não é só críticas à nossa evolução tecnológica. Ele acredita que, em menos de 30 anos, qualquer pessoa será capaz de acessar a internet apenas com um piscar de olhos. Além disso, segundo ele, hoje nós vivemos a chamada quarta onda tecnológica.

Maior físico do mundo conta como será o futuroMichio na Campus Party (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Nela, a biotecnologia e a nanotecnologia podem permitir que o futuro da humanidade seja completamente diferente do que muitos esperam. Doenças como o câncer, por exemplo, podem até mesmo ser erradicadas. Além disso, qualquer parte do corpo poderá ser produzida em laboratório, acabando com as filas de transplantes e outros problemas do gênero.

Um cara popular

Nem só de questionamentos vive Michio Kaku. Além de estudar e buscar as respostas para a existência do universo, o físico também é extremamente popular, não só no meio da Física como também no mundo dos meros mortais.

Kaku é muito conhecido por transformar assuntos extremamente pesados, como a Teoria das Cordas, em algo bem menos complicado de se entender. A forma como ele explica os assuntos faz com que a Física possa se tornar objeto de interesse da população em geral.

Kaku em um vídeo mostrando o seu escritório (Fonte da imagem: Reprodução/Science Friday)

Além disso, é impossível negar que Michio gosta um pouco da atenção que é lhe dada e também de todo esse contato mais estreito com as pessoas. Além de ter escrito vários livros sobre o assunto, atualmente ele comanda dois programas de rádio (nos Estados Unidos), participa de vários programas de televisão e é palestrante em vários eventos por todo o planeta – incluindo uma das últimas edições da Campus Party.

Michio Kaku também tem um site oficial e contas ativas em várias redes sociais, como no Facebook e no Twitter. Se você curte o assunto, todos esses canais de comunicação são pratos-cheios de informação e oportunidades imperdíveis de você ter certo contato com um dos maiores físicos de todos os tempos.

Fonte: Sciente Friday, C-SPAN, Apexstuff, Michio Kaku, About.com, The Science Classroom, G1, YouTube, How Stuff Works – Ciência, Discovery Brasil, Big Think, Facebook e Twitter

Cupons de desconto TecMundo: