O Facebook fez uma confusão internacional com o nome de uma usuária da rede social após os atentados da última sexta-feira (13) que deixaram mais de 120 mortos em Paris. Para impedir que a organização terrorista autointitulada Estado Islâmico (ISIS, na sigla original) usasse o site para se organizar, ele começou a remover páginas relacionadas. Porém, nem todos tinham a ver com o grupo.

É o caso da engenheira Isis Anchalee, que mora em San Francisco, nos Estados Unidos, e teve a conta deletada do Facebook simplesmente por causa do nome. A rede social aparentemente achou que a conta era fake ou relacionada ao Estado Islâmico — segundo as regras, é preciso ter uma "identidade autêntica" e usar "o nome com o qual seus amigos te chamam na vida real".

Sem poder acessar o Facebook, Isis chamou a atenção da conta do site no Twitter. Um pesquisador da empresa viu o caso, entrou em contato com o site de Mark Zuckerberg e resolveu a situação. "O Facebook pensa que eu sou uma terrorista. Aparentemente, enviar para eles uma captura de tela do meu passaporte não é bom o suficiente para eles reabrirem minha conta", explicou Isis na rede social.

Agora, Isis Anchalee — e provavelmente outras Isis ao redor do mundo — podem desfrutar novamente do Facebook sem serem confundidas com o Estado Islâmico.

Cupons de desconto TecMundo: