Desde a sua inauguração, o Facebook sempre cobrou que os usuários utilizassem seus nomes verdadeiros na conta da empresa. A política era muito diferente da de seu concorrente, o Orkut, que, na época, permitia às pessoas colocarem o que quisessem no nome, de estrelinhas a emoticons.

A solicitação de transparência de identidade era uma proposta para evitar perfis falsos ou nocivos para a comunidade da rede social de Mark Zuckerberg. Entretanto, essa política sofreu com problemas na Alemanha recentemente. Uma garota alemã quis utilizar um pseudônimo no Facebook para preservar a sua privacidade, mas a companhia não gostou nada disso.

Além de pedir uma cópia da sua carteira de identidade – o equivalente ao nosso RG – para aprovar seu cadastro, a rede social alterou o nome dela sem o seu consentimento. A ação claramente irritou a menina, que fez uma reclamação contra o Facebook. Ela havia feito isso para evitar cobranças desnecessárias de algumas empresas.

Agora, qualquer nome é permitido no Facebook alemão

A Autoridade de Proteção de Dados de Hamburgo comprou a briga e defendeu a cidadã. A partir de agora, qualquer alemão pode utilizar o nome que quiser e a rede social não pode pedir por cópias do RG. A regra da empresa sempre foi pautada sobre uma decisão de uma lei irlandesa, que concluía que a medida de nomes verdadeiros servia para a segurança dos usuários.

Contudo, o órgão regulamentador alemão foi contra a decisão baseada em legislação de outro país, dizendo que “por esse motivo, o Facebook não pode argumentar que apenas leis da Irlanda são aplicáveis. Qualquer um que esteja em nosso solo deve seguir as nossas regras”.

Cupons de desconto TecMundo: