Esta semana, a Adobe liberou uma atualização do Flash Player para corrigir um erro que permitia a instalação de malwares no Windows, no Internet Explorer e no Mozilla Firefox. Aproveitando tal fato, cibercriminosos estão usando o Facebook e um suposto vídeo de pornografia para invadir computadores dos internautas.

O golpe usa perfis de usuários reais e comuns da rede social que foram infectados para compartilhar uma cena pornográfica. A publicação ainda marca alguns dos contatos da conta já invadida, não mais que 20 pessoas, para criar uma “veracidade” na postagem.

Ao clicar nesse conteúdo direcionado a ela, a vítima é redirecionada para outra página, na qual alguns poucos segundos do vídeo são reproduzidos. Em seguida, é exibida uma mensagem informando que não foi possível executar a gravação e que seria necessária a atualização do plugin do Flash para dar continuidade a reprodução. Logo em seguida, é ofertado um link para o download do suposto arquivo, que obviamente é um conteúdo malicioso.

De acordo com o Threatpost, em apenas dois dias, mais de 110 mil adeptos do Facebook foram afetados pela armadilha. O site entrou em contato com a rede social, a qual respondeu que ”usa uma série de sistemas automatizados para identificar potenciais links maliciosos e interromper a sua disseminação”, comentou um porta-voz da companhia.

“Nós estamos cientes dessas variações de malwares, que normalmente se hospedam como extensões de navegadores e que se distribuem usando links em redes sociais. Estamos bloqueando links com esse tipo de golpe, oferecendo opções de limpeza e tomando medidas adicionais para que as pessoas possam continuar tendo uma experiência segura no Facebook”, complementou o representante do site.

Cupons de desconto TecMundo: