A notícia pode parecer ter saído das páginas de um livro de ficção científica ou de um filme de Hollywood, mas é algo que realmente está sendo considerado pelos cientistas da NASA no que diz respeito à exploração do Planeta Vermelho: a agência espacial norte-americana tem planos de criar uma espécie de campo magnético artificial para proteger o que sobrou da atmosfera marciana e tornar Marte um pouco menos inóspita para possíveis visitantes terráqueos.

Para entendermos o que isso quer dizer exatamente, devemos levar em conta que Marte é um planeta com uma atmosfera extremamente rarefeita e que passou bilhões de anos sob os efeitos destruidores da radiação solar, ao contrário da Terra, cuja atmosfera foi capaz de proteger os primeiríssimos seres vivos que se desenvolveram e chegaram até o que vemos aqui hoje.

As tempestades solares destruíram a atmosfera de Marte há mais de 4 bilhões de anos

Ambiente inóspito

A ideia do momento é criar um campo magnético artificial de maneira que a temperatura da superfície suba e possa derreter o dióxido de carbono no polo Norte

Segundo cientistas, há cerca de 4,2 bilhões de anos, Marte perdeu o campo magnético natural que protegia sua superfície contra os ventos solares e que tornaram sua atmosfera extremamente rarefeita. É ela que impede que os vastos recursos subterrâneos e congelados do planeta possam residir de maneira permanente na parte externa e também faz com que os pousos de naves espaciais sejam consideravelmente mais complicados, pois quase não há resistência de gases atmosféricos.

Sem efeito estufa, Marte perdeu os oceanos que, segundo estudos, cobriam cerca de 30% do hemisfério Norte do planeta. A ideia do momento – que ainda está longe de sair do papel, claro – é criar um campo magnético artificial de maneira que a temperatura da superfície suba e possa derreter o dióxido de carbono no polo Norte, recriando esse efeito e tornando a atmosfera do planeta mais espessa.

O planeta Marte pode já ter sido assim – parecido com o nosso, não?

Planos ambiciosos

Isso também vai proteger Marte contra a radiação solar e torná-lo muito menos inóspito para os futuros exploradores que tanto a NASA quanto a SpaceX de Elon Musk pretendem levar para lá. É claro que ainda há muito chão pela frente e que, mesmo que esse campo magnético fosse criado hoje, ainda demoraria décadas para que algo fosse alterado de maneira substancial para o bem-estar dos terráqueos visitantes.

Ainda assim, o fato de já estarem considerando botar tudo isso em prática parece fantástico e poderia ser um passo muito importante para a exploração espacial. Se você já ouviu falar em terraformação e acha que isso é coisa da ficção, saiba que talvez estejamos mais perto disso do que imaginamos.

Cupons de desconto TecMundo: