O OCR é o comitê de organização dos exames de três das maiores universidades do Reino Unido — Oxford, Cambridge e Royal Society of Arts —, sendo responsável por realizar os testes de admissão dos estudantes para estes três institutos de ensino. Pois você deve imaginar que isso representa muita seriedade e as decisões tomadas nesse comitê não podem ser tomadas sem grandes estudos.

E é exatamente assim que todo o mundo enxerga o OCR. Por isso, a nova informação dada por Mark Dawe (o Chefe-Executivo) da organização é tão importante. Em entrevista para a rádio BBC, ele revelou que o modo como os exames são aplicados aos estudantes precisa mudar e isso significa que a permissão ao uso de tecnologias durante as provas vai acontecer cedo ou tarde.

Quando questionado acerca da possibilidade de alguém usar celulares com acesso à internet, Dawe falou que isso é inevitável. Ele compara o uso do Google ao de um livro: “Na realidade você não tem tempo para pesquisar muito, então você tem que ter aprendido aquilo antes de qualquer maneira”. Ele ainda foi além e teceu algumas críticas ao modo como exames são realizados atualmente.

O executivo britânico disse que as provas devem mudar para que os estudantes não apenas respondam o que a pergunta pede. “É preciso que haja uma modificação para que os candidatos à universidade mostrem que podem interpretar e analisar os fatos”, disse ele. Apesar disso, não existe uma previsão para quando algo desse tipo será permitido nos testes da OCR.

Cupons de desconto TecMundo: