Em meio à crise que assola a Grécia, os cidadãos do país perderam um dos principais meios que dispunham para fazer comprar. O governo local decidiu suspender pagamentos através de cartões para transações online e bloqueou qualquer espécie de transação com lojas baseadas em territórios estrangeiros.

A situação é um reflexo da decisão de impedir transferências de fundos para fora da Grécia como forma de impedir o colapso do sistema bancário. Os principais prejudicados com a decisão devem ser grandes empresas multinacionais como a Apple, Google e Facebook, cujas lojas online e transações virtuais estão severamente prejudicadas no país.

Com isso, muitos cidadãos estão recorrendo aos Bitcoins como uma forma de proteger suas economias e realizar transações com o exterior. Nas últimas 10 semanas, as atividades no site Bitstamp originadas na região registram um aumento de 79%, situação que também foi registrada por outras empresas que lidam com a moeda digital.

Socorro no financiamento coletivo?

Diante da situação, um britânico decidiu iniciar uma campanha em um site de financiamento coletivo na tentativa de “salvar a Grécia”. Thom Feeney pretende usar o IndieGoGo para levantar aproximadamente 1,6 bilhão de euros para pagar a dívida do país junto a credores internacionais.

Embora seja improvável que ele atinja seu objetivo, Feeney já convenceu mais de 50 mil pessoas a contribuir com pouco mais de 886 mil euros em questão de 3 dias. Apesar de o valor parecer alto, ele não corresponde a sequer 1% da meta desejada — que dificilmente vai ser atingida quando levamos em consideração que faltam somente 6 dias para o fim da campanha.

Cupons de desconto TecMundo: