Um relatório do Departamento de Justiça dos Estados Unidos obtido pelo jornal USA Today revelou que os drones estão cada vez mais populares entre um público peculiar no país: os presos.

Segundo a publicação, ao menos uma dúzia de casos de drones contrabandeando itens para dentro de presídios federais foram detectados nos últimos cinco anos. Esse número só corresponde às tentativas descobertas e frustradas — o que significa que penitenciárias estaduais, por exemplo, podem ter recebido muitas visitas secretas desses aparelhos.

O relatório indica que os drones são usados para levar itens que não passam no esquema de segurança dos visitanes. Isso inclui celulares, drogas e até pornografia. Até armas de fogo são uma possibilidade, embora nenhum caso tenha sido registrado. O Brasil já teve um caso parecido envolvendo cocaína.

O que fazer?

Nos EUA, não é ilegal voar com drones perto de prisões e não há efetivo de fiscalização para todas as instituições do país — até porque o foco tem sido controlar os voos e filmagens usando esseas unidades em aeroportos. Enquanto nenhum tipo de lei ou mecanismo de controle é aprovado (como desestabilizadores de sinal para derrubar os aparelhos), essa é vista como uma forma fácil e barata de transporte de objetos para presos.