Huawei P50 Pocket: novas imagens mostram celular dobrável flip

1 min de leitura
Imagem de: Huawei P50 Pocket: novas imagens mostram celular dobrável flip
Imagem: Harper’s Bazaar China
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

A fabricante chinesa Huawei está preparando o lançamento de mais um smartphone dobrável. Desta vez, depois de duas gerações do Huawei Mate X, será um celular no formato flip, ao estilo Galaxy Z Flip 3.

As primeiras imagens vazadas do Huawei P50 Pocket apareceram nesta semana na rede social Weibo, confirmando o design e alguns dos destaques do dispositivo. Batizado como uma versão mais portátil da linha P50 tradicional, ele parece mais voltado para um mercado de luxo.

Mais alguns ângulos do aparelho.Mais alguns ângulos do aparelho.Fonte:  Harper’s Bazaar China 

Como elemento mais chamativo, o P50 Pocket tem um módulo circular para as câmeras traseiras abrigando três lentes.

Abaixo, há um pequeno display externo quase do mesmo tamanho, que exibe informações como data e horário. Ele também pode ser usado para selfies, auxiliando você a encontrar o ângulo certo.

Mais do P50 Pocket fechado.Mais do P50 Pocket fechado.Fonte:  Harper’s Bazaar China 

O dispositivo aparente possui uma variante em dourado e um sensor biométrico embutido no botão de energia. Nenhuma das imagens, entretanto, mostra o visual do display quando aberto ou a qualidade da tela.

Situação difícil

Em termos de especificações técnicas, também não há qualquer indício. Entretanto, é possível que ele tenha um processador de fabricação própria da marca, como o Kirin 9000, e o Harmony OS como sistema operacional.

P50 Pocket.P50 Pocket.Fonte:  Harper’s Bazaar China 

A alternativa de ecossistema da fabricante após as sanções ainda em andamento do governo dos Estados Unidos é a plataforma mobile que cresceu mais rápido na história, embora ainda bastante limitada geograficamente.

A Huawei deve apresentar o dispositivo em uma conferência marcada para o dia 23 de dezembro, junto de outras novidades para tentar reerguer a divisão mobile da companhia. As proibições e a necessidade de se reorganizar para sobreviver fizeram a receita do setor cair em pelo menos R$ 159 bilhões em 2021.