Smartphone de titânio RED Hydrogen One começa a ser vendido por US$ 1,5 mil

1 min de leitura
Imagem de: Smartphone de titânio RED Hydrogen One começa a ser vendido por US$ 1,5 mil
Avatar do autor

A RED é uma empresa bem conhecida entre os profissionais de vídeo. Ela fabrica câmeras filmadoras high end que geralmente são usadas em comerciais e na indústria do cinema.

Em 2017, a RED resolveu entrar no mercado de smartphones anunciando um modelo que prometia revolucionar o mercado, trazendo qualidade superior de hardware, tela premium e a capacidade de exibir imagens holográficas. Estamos falando do Hydrogen One, que chegaria às lojas em duas versões: uma de alumínio e outra de titânio.

Entretanto, a empresa se enrolou e a versão em titânio acabou atrasando. Em 2018, apenas a versão em alumínio chegou às lojas, que, inclusive, foi bastante criticada. Os reviewers reportaram que o smartphone não chegava perto do que foi prometido pela RED.

Fonte: Chris Velazco/Engadget

Agora, finalmente, o Hydrogen One de titânio começou a ser comercializado pela “bagatela“ de US$ 1595 nos EUA. Isso é muito mais caro que os modelos mais parrudos dos flagships da Apple e Samsung.

No ano passado (2018), a empresa havia avisado que os clientes que adquiriram o modelo de titânio, receberiam o de alumínio de início, mas que, quando o de titânio ficasse pronto, eles teriam o direito de recebê-lo sem precisar pagar mais nada. E ela está cumprindo com a promessa, pois já está realizando as entregas.

Para azar da empresa, os “felizardos” já começaram a vender as unidades que receberem como “presente” em lojas online, o que demonstra que a experiência que tiveram com a versão de alumínio não foi das melhores. Talvez, tivesse sido mais fácil para a RED devolver o dinheiro aos clientes, abandonar o projeto do Hydrogen Onde de titânio e iniciar o desenvolvimento de outro smartphone.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Smartphone de titânio RED Hydrogen One começa a ser vendido por US$ 1,5 mil