É sexta-feira. Você chega em casa com mil coisas na cabeça sobre sua vida profissional, acadêmica ou pessoal. A latente vontade de relaxar enquanto assiste a uma série ou um filminho vira uma espécie de desejo selvagem. É hora de recorrer à sua melhor amiga, Netflix. Tire os sapatos e sente-se no sofá, ou fique mais ousado e leve a diversão para a cama... Mas o que fazer quando o conforto do seu lar simplesmente não está disponível?

Quando a Netflix é colocada como o ponto fundamental sobre qual celular comprar, a tela desponta como o quesito mais importante a ser levado em consideração.

Frequentemente, o apogeu da sociedade moderna nos obriga a passar o dia inteiro longe de casa, seja estudando, trabalhando ou percorrendo a distância que separa o lar, doce lar, das obrigações cotidianas. Sendo assim, os únicos instantes de paz estão nos intervalos, horários de almoço e minutos dentro do ônibus.

Ao contrário do que muitos acreditam, é possível, sim, aproveitar esses pequenos momentos para dar conta das séries que você acompanha – basta encontrar o smartphone certo para isso. Aí aparece outro problema: qual devo escolher?

Quando a Netflix é colocada como o ponto fundamental sobre qual celular comprar, a tela desponta como o quesito mais importante a ser levado em consideração. Mas engana-se quem acredita que é preciso analisar somente o tamanho do display, pois também é necessário incluir na balança a tecnologia do painel e os recursos que o mesmo suporta.

Especificamente na Netflix, há dois termos que regem a qualidade da tela de um dispositivo: HDR10 e Dolby Vision. Portanto, antes de saber qual aparelho levar para casa, faz-se importante entender como ambos funcionam.

HDR

HDR

O termo HDR vem do inglês High Dynamic Range, ou dinâmica de alto alcance, em tradução literal. Apesar de parecer um monstro de sete cabeças à primeira vista, o conceito da funcionalidade é bastante simples. Antigamente, para uma tela exibir cores brilhantes e vívidas, via-se a obrigação de aumentar a intensidade de todas as cores impressas pelos pixels, incluindo as tonalidades mais escuras.

Isso fazia com que o preto deixasse de ser realmente preto e virasse uma espécie de acinzentado, sacrificando o contraste pela saturação. Em efeito contrário, ao tentar enegrecer as áreas com menos luz, a imagem inteira ganhava um aspecto sombrio.

O HDR veio justamente para abolir esse efeito colateral. Com uma dinâmica de alto alcance, pode-se deixar as cores claras mais vibrantes, ao passo que os tons negros permanecem fiéis à realidade, e vice-versa. Consequentemente, uma gama estendida de cores é alcançada pelo incremento de níveis específicos de brilho.

HDR10 e Dolby Vision

Dolby Vision

Agora que você já sabe o que é HDR, também deve entender que há certificados que dizem se um dispositivo é capaz, ou não, de suportar a tecnologia. São eles HDR10 e Dolby Vision, um grátis e outro pago, respectivamente.

Começando pelo HDR10, ele é o mais próximo de ser um padrão de mercado, isto é, absolutamente todos os dispositivos HDR precisam aceitá-lo. Já o Dolby Vision requer que o produtor de uma série ou filme pague à companhia para receber o selo de compatibilidade. Isso resulta em certas mordomias, como o suporte a até 10.000 nits e a análise dinâmica de metadados, que verifica o conteúdo quadro por quadro para entender se a melhor qualidade possível está sendo exibida ao usuário. HDR10, por sua vez, aceita “apenas” 1.000 nits e faz o processamento de metadados uma única vez para cada mídia.

Smartphones com HD10 ou Dolby Vision

Os modelos compatíveis com as séries e filmes HDR da Netflix estão listados no site oficial da própria empresa. À vista disso, a seleção (não ordenada) abaixo apresenta os melhores smartphones para desfrutar da altíssima qualidade da plataforma, assim como seus respectivos preços.

Samsung Galaxy Note 9, Galaxy S9 Plus e Note 8

Não há como discutir. De acordo com os especialistas do DisplayMate, a Samsung faz as melhores telas do mercado. A gigante da Coreia do Sul usou painéis OLEDs para desenvolver a sua própria versão, intitulada de Super AMOLED. Os últimos – e maiores – smartphones da marca a contarem com o recurso são o Galaxy Note 9, Galaxy S9 Plus e Note 8.

Apple iPhone X, iPhone 8 e 8 Plus

Ironicamente, o Apple iPhone X utiliza telas feitas pela Samsung, portanto oferece uma qualidade similar ao que é visto nos produtos da rival. Já o iPhone 8 e 8 Plus, por sua vez, vêm com um dos melhores painéis LCD do mercado – e também são compatíveis com o HDR.

LG V35, LG G7 ThinQ e G6

LG foi a primeira marca a ter um celular listado pela Netflix como compatível com o HDR. O pioneiro foi o G6, mas desde então outros modelos de ponta da empresa também passaram a utilizar a tecnologia para melhorar a experiência visual, abrangendo o V35 e o G7 ThinQ, por exemplo.

Xperia XZ2 e Xperia XZ2 Compact

Sony, famosa por sua linha Bravia de televisores de alto nível, trouxe sua tecnologia de imagem para a família Xperia. No Brasil, os integrantes mais modernos e competentes da série são o Xperia XZ2 e Xperia XZ2 Compact.

Huawei Honor 10, Mate 10 Pro e P20

A empresa chinesa Huawei também embarcou na tendência do HDR. Tanto o intermediário Honor 10 quanto os flagships Mate 10 Pro e P20 entregam excelência ao reproduzirem séries e filmes na Netflix. Dentre o trio, todavia, somente o Mate 10 Pro engloba um painel AMOLED.

E aí, o que achou dos dispositivos que suportam o HDR na Netflix? Agora cabe a você decidir qual deles mais se adequa às suas necessidades. Aproveite também para conferir mais descontos do TecMundo: