(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

Antigo executivo do mundo dos antivírus, John McAfee está proibido de se aproximar do síndico de seu antigo prédio graças a uma ordem judicial. O documento de restrição contra o principal responsável pelo software que leva seu nome é resultado da perseguição perpetuada por ele, que acreditava que o síndico Connor Hyde participava de uma conspiração internacional que tinha o intuito de raptá-lo.

O caso começou quando McAfee atrasou algumas mensalidades do seu aluguel, o que obrigou Hyde a enviar um aviso de despejo por email, perguntando qual atitude seria tomada pelo inquilino. “Sua resposta estará nos jornais ainda esta semana”, teria respondido o criador do popular antivírus. “Eu espero que você esteja preparado para explicar o que aconteceu às fitas de segurança naquela noite em que seus conhecidos tentaram me raptar. Eu vi o vídeo em que você e seu parceiro entravam na sala de vídeo às 7h26 depois que falharam nisso”, complementou.

Em outro email, McAfee acusa o ministro nacional de Belize, John Sandivar, e o ex-dono de uma franquia do KFC, Zubair Kazi, de fazerem parte do grupo que pretendia raptá-lo, afirmando que tinha maneira de “lidar com eles”. Em sua defesa, Hyde afirma que ele não faz e nunca fez parte de uma conspiração destinada a prejudicar seu inquilino.

O que poderia soar como uma mera brincadeira que saiu de controle quando dita por outra pessoa, assusta quando é dita por McAfee. Conhecido por andar sempre com uma arma, o criador do sistema de antivírus, suspeito de cometer ao menos um assassinato, passou algumas semanas preso na América Central e costuma empregar seguranças que fazem parte de um motoclube lembrado por sua violência.

Cupons de desconto TecMundo: