Armie Hammer deixa a produção de Billion Dollar Spy após polêmica

1 min de leitura
Imagem de: Armie Hammer deixa a produção de Billion Dollar Spy após polêmica
Imagem: 20th Century Studios/Reprodução
Avatar do autor

Armie Hammer foi retirado de outro filme após as acusações de agressão sexual dirigidas contra o ator. Ele não está mais ligado ao thriller de espionagem Billion Dollar Spy.

Esta é a terceira produção de alto perfil que Hammer perdeu, incluindo a série The Offer, sobre os bastidores de O Poderoso Chefão, e o filme Shotgun Wedding, que estrelaria ao lado de Jennifer Lopez.

Billion Dollar Spy é um drama da Guerra Fria dirigido por Amma Asante e co-estrelado por Mads Mikkelsen.

A notícia chega pouco depois de Armie Hammer ser acusado de estupro por uma mulher identificada como Effie, que deu uma entrevista coletiva em 18 de março com sua advogada Gloria Allred. A mulher alegou que a agressão sexual ocorreu em abril de 2017 e que, durante um encontro, Hammer a estuprou violentamente e repetidamente bateu sua cabeça contra uma parede. Ela também disse que Hammer cometeu outros atos violentos contra ela sem seu consentimento.

A alegação levou a uma investigação pela polícia de Los Angeles, que está atualmente em andamento. Hammer, por meio de seu advogado, negou as acusações, que disse em uma declaração: “Sr. Hammer refuta as acusações ultrajantes”.

Hammer foi originalmente escalado para Billion Dollar Spy no final de 2020. No filme, produzido por Akiva Goldsman e Greg Lessans via Weed Road Pictures, Hammer interpretaria um agente da CIA que desenvolve um vínculo com um engenheiro soviético (Mikkelsen) em Moscou.

(Netflix/Reprodução)(Netflix/Reprodução)Fonte:  Netflix 

Hammer esteve no centro da controvérsia na internet durante a maior parte do ano, depois que supostas mensagens vazadas vieram à tona detalhando a vida sexual do ator. Ele também foi descartado por sua agência, WME.

Depois que saiu de Shotgun Wedding, Hammer emitiu uma declaração sobre o escândalo no qual ele teria enviado mensagens nas redes sociais para diferentes mulheres sobre suas fantasias sexuais. A declaração dizia: “Não estou respondendo a essas alegações de merda, mas à luz dos ataques viciosos e espúrios online contra mim, não posso, em sã consciência, deixar meus filhos por quatro meses para fazer um filme na República Dominicana. A Lionsgate está me apoiando e sou grato a eles por isso”.

Hammer não tem outros projetos atualmente em pauta, já que as filmagens do filme Morte no Nilo já foram concluídas há muito tempo e a produção chegará aos cinemas em fevereiro de 2022.