Ross Willian Ulbricht (fundador do Silk Road) que está preso desde o dia no qual a polícia fechou as portas do site, vai finalmente ser julgado por seus crimes na próxima sexta-feira. Os promotores federais envolvidos no caso esperam uma pena muito maior do que a mínima obrigatória (que é de 20 anos) por ter sido culpado em sete acusações, incluindo lavagem de dinheiro e tráfico de drogas.

Lançado em 2011, o site da Deep Web ficou rapidamente famoso por intermediar uma série de negociações ilícitas — que iam desde a venda de drogas até negociações de armas proibidas. Ele foi fechado em 2013 após uma intensa investigação das autoridades norte-americanas. Criado por Ulbricht (conhecido popularmente na internet como Dread Pirate Roberts), o cyber mercado negro chegou a movimentar mais de US$ 1,2 bilhões em pouco menos de dois anos.

Na última terça (26), o promotor Preet Bharara, do Distrito Sul de Nova York, enviou uma carta para o Tribunal Distrital Federal, enfatizando os crimes do réu com o objetivo de que uma sentença mais severa fosse aplicada – prisão perpétua.

No documento, Preet Bharara se refere ao dono do Silk Road como sendo um chefe do narcotráfico digital que gerenciava um “mercado negro virtual sem precedentes”, deixando um grande rastro de vício e overdoses por todos os lados. Ulbricht carrega a responsabilidade pelas drogas ilegais vendidas através de seu website, “não importa que ele não lidava pessoalmente essas drogas”.

Rota da Seda

Com base nas informações reveladas pelas autoridades, durante o tempo no qual a página esteve no ar; mais de 1.5 milhões de negociações ocorreram no domínio, envolvendo aproximadamene 100 mil contas do usuários e cerca de quatro mil contas de “fornecedores”. No dia em que foi fechado, o Silk Road disponibilizava uma lista com 13.000 ofertas de entorpecentes. Quando o computador pessoal de Ulbricht foi investigado, a polícia encontrou nada menos que US$ 18 milhões em Bitcoins.

Além da ligação com as transações do Silk Road na Deep Web, a promotoria também informou que Ross Willian Ulbricht chegou até mesmo a contratar vários assassinatos para se livrar de pessoas que poderiam comprometer o negócio. Entretanto, não haviam provas concretas para uma acusação formal.

Pedido de clemência

Recentemente, a defesa chegou a apresentar uma carta a juíza Katherine B. Forrest, do Tribunal Distrital Federal, na qual o réu implorava por piedade. “Já tive minha juventude, e eu sei que você deve tirar minha meia-idade, porém por favor, me deixe ficar com a minha velhice", implorou Ulbricht. “Por favor, que eu tenha uma pequena luz no fim do túnel, um motivo para sonhar com dias melhores e uma chance de me redimir antes de eu parta para conhecer meu criador.”

Cupons de desconto TecMundo: